AIG manterá núcleo de seguros e venderá ativos para pagar EUA

A American International Group (AIG), a seguradora seriamente atingida por perdas com apostas ruins em hipotecas, anunciou nesta sexta-feira que vai se concentrar em suas principais operações com seguros e colocar o restante de seus negócios à venda para pagar o empréstimo de até 85 bilhões de dólares concedido pelo governo dos Estados Unidos. A companhia, cujas ações disparavam mais de 12 por cento nesta tarde, informou que manterá negócios de seguros de propriedade e sinistros e que manterá participações majoritárias em operações internacionais de seguro de vida, que geraram quase 40 bilhões de dólares em receitas em 2007. "Literalmente, tudo o mais que não se encaixar sob essa definição estamos considerando para venda", disse o presidente-executivo da AIG, Edward Liddy. O executivo informou que não espera que as vendas ocorram sob pressão e acrescentou que os compradores deverão assumir a dívida dos negócios da AIG que adquirirem. "Queremos equilibrar velocidade com valor...Nós temos uma série de compradores interessados", disse Liddy à Reuters. entre os ativos que a AIG pode vender estão uma unidade de leasing de aviões, a International Lease Finance Corp (ILFC) e a participação na resseguradora Transatlantic Holdings Inc. A empresa também pode vender partes da American Life Insurance Co (ALICO), que opera como uma seguradora de vida em mais de 55 paísess e regiões. A AIG, no final de 2007, tinha 116 mil empregados em mais de 130 países e territórios. A AIG informou que sacou 61 bilhões de dólares da linha de crédito do Federal Reserve e usou os recursos para cobrir empréstimos e garantir liquidez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.