Air France vai cortar 2.000 empregos

Companhia, porém, negou que a primeira rodada de redução de gastos envolveria corte de pessoal

Economia & Negócios,

15 de dezembro de 2011 | 09h00

PARIS - Um congelamento em recrutamento vai fazer a companhia aérea franco-holandesa Air France-KLM cortar 2.000 empregos em 2012, em uma estratégia para economizar cerca de 800 milhões de euros (1,04 bilhão de dólares) anualmente nos próximos três anos, publicou o jornal francês La Tribune, nesta quinta-feira. A companhia, porém, negou a informação e disse que ainda está estudando medidas de corte de custos que serão apresentadas à diretoria e a representantes dos funcionários em meados de janeiro, segundo um porta-voz. "Nada foi decidido até agora", disse.

Segundo o porta-voz, uma primeira rodada de cortes de gastos não afetará postos de trabalho. Medidas estruturais para colocar as finanças da Air France novamente em linha "não serão anunciadas até junho do próximo ano e vão apenas afetar a folha de pagamento, em último caso", acrescentou.

O La Tribune afirmou que os 2 mil cortes se somariam aos mais de 4 mil feitos pela empresa nos últimos 15 meses, ou cerca de 10% do total. A Air France-KLM tem sido prejudicada por uma forte alta nos custos operacionais, especialmente nos preços dos combustíveis, e deverá ter prejuízo operacional neste ano.

A companhia aérea gasta cerca de um terço de sua receita com pessoal, a maior linha de despesa da empresa, ante cerca de um quarto da rival Lufthansa.

O jornal publicou que o congelamento no plano de contratações afeta todas as áreas da empresa e será apresentado ao conselho de direção em 11 de janeiro. (Agência Estado e Reuters)

Texto atualizado às 11h15

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASAIRFRANCEDEMITE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.