AirAsia fará pedido de 200 aviões à Airbus--fontes

A Airbus e a AirAsia estão finalizando detalhes de um acordo de 17 bilhões de dólares que envolve a compra de até 200 aviões, afirmaram fontes da indústria à Reuters durante a Paris Air Show. Durante as discussões, o número de aviões beirou 300 unidades, incluindo opções.

REUTERS

22 de junho de 2011 | 10h59

A compra, que deve ser anunciada na quinta-feira, deve marcar o ápice da semana no maior salão de aviação do mundo e no qual a Airbus tem batalhado para impulsionar o modelo A320neo.

A fabricante de aviões está apostando em demanda de companhias aéreas ansiosas por cortar custos com combustível em um momento em que a rival Boeing avalia se atualiza o 737 com recursos de economia de consumo ou investe dinheiro em um avião totalmente novo.

Fontes da indústria de aviação afirmaram na véspera da Paris Air Show que a Airbus e a AirAsia estavam próximas de um acordo envolvendo 200 aviões.

O acordo é uma das encomendas mais aguardadas do evento e pode ofuscar um pedido de 16 bilhões de dólares e 180 A320neo anunciado pela indiana IndiGo, nesta quarta-feira.

Os números levantados nas últimas semanas de negociações entre a AirAsia e a Airbus incluem 150 A320neo, avaliados em 12 bilhões de dólares, e opções para outras 50 unidades; ou 200 aeronaves com mais 100 opções, disseram fontes do setor.

Entretanto, uma fonte próxima da situação afirmou que a companhia aérea provavelmente será cautelosa com as opções.

Uma opção é um compromisso do fabricante de reservar um slot de produção para o cliente, mas envolve algum custo para a companhia aérea pois a fabricante não pode vender esse espaço a outros.

Ambas as empresas não quiseram comentar o assunto.

O presidente-executivo da AirAsia, Tony Fernandes, tem falado publicamente do interesse da empresa em comprar pelo menos 150 aviões enquanto prepara a companhia para dobrar de tamanho e rivalizar com a Southwest Airlines. Mas ele disse à Reuters na semana passada que a bola estava "na quadra da Airbus".

A companhia aérea foi indicada como melhor empresa aérea de baixo custo do mundo em uma cerimônia ocorrida durante a Paris Air Show, nesta quarta-feira.

(Por Tim Hepher)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASAIRSHOWAIRASIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.