Airbus corta produção, mas descarta impacto nos empregos

A Airbus vai reduzir seus níveis de produção para a família de aeronaves A320 e reavaliar o cronograma planejado para a produção de modelos A330/A340, enquanto a crise financeira global torna as companhias aéreas mais cautelosas nos pedidos de novas aeronaves. A Airbus, parte da companhia aeroespacial europeia EADS, informou nesta quinta-feira que não descarta novos cortes de produção no futuro. A produção da família A320 poderá ser reduzida de 36 para 34 unidades por mês, enquanto os níveis de produção dos A330/340 deverão permanecer em 8,5 por mês, e não crescer, como anteriormente planejado. Os objetivos de entrega de aviões deste ano permanecem inalterados e a Airbus informa que as mudanças não irão afetar os postos de trabalho. "Esta decisão reflete a atual visão da Airbus sobre a demanda do mercado em tempos de adaptação das companhias aéreas às suas capacidades e às contínuas incertezas causadas pela crise econômica mundial", disse a empresa, em um comunicado. A Airbus planeja entregar um número similar de aeronaves este ano em relação ao do ano passado, quando entregou 483 aviões, um recorde para a empresa. (Reportagem de Caroline Jacobs)

REUTERS

19 de fevereiro de 2009 | 16h32

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASAIRBUSCORTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.