Ajuda à Grécia pode totalizar € 120 bi em três anos, diz parlamentar a TV alemã

Número é quase três vezes maior do que os 45 bilhões de euros citados até agora pelas autoridades europeias

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de abril de 2010 | 10h23

O custo para salvar a Grécia de suas dívidas pode ser de cerca de 120 bilhões de euros, afirmou o diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, de acordo com Thomas Oppermann, legislador da Alemanha, citado pela rede de televisão alemã N-tv.


Oppermann repetiu a estimativa feita por Strauss-Kahn em uma reunião nesta manhã com legisladores alemães. O número anunciado é quase três vezes maior do que os 45 bilhões de euros citados até agora pelas autoridades europeias em seus esforços para evitar que a Grécia declare default sobre suas dívidas.


Juergen Trittin, líder parlamentar do Partido Verde, também disse a jornalistas nesta quarta-feira que foi dito aos parlamentares alemães que a Grécia deveria ser retirada do mercado por três anos. Um membro do partido da chanceler Angela Merkel, CDU, afirmou que o FMI e o Banco Central Europeu (BCE) rejeitaram uma demanda de alguns parlamentares alemães de que os bancos fossem incluídos no pacote de resgate.


Norbert Barthle, porta-voz de orçamento no parlamento do CDU, afirmou após uma reunião com o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, e como o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, que as duas entidades se opuseram a incluir os bancos.


(Com Dow Jones e Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaFMIajuda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.