Alcoa inicia negociação com Eletronorte sobre contrato de energia

A Alcoa iniciou nesta quinta-feira as negociações com a Eletronorte sobre o contrato de energia de longo prazo entre as empresas, para obter a redução dos preços de energia, segundo o presidente para a empresa na América Latina, Franklin Feder.

Reuters

20 de setembro de 2012 | 13h51

"O primeiro encontro com a Eletronorte está ocorrendo neste momento em Brasília. A expectativa da nossa parte é boa, e vai ser um processo que vai levar um tempo. O contrato é complexo", disse a jornalistas, após participar de evento na Amcham, em São Paulo.

"A nossa expectativa é que já a partir do dia 1o de janeiro, quando o programa de redução de custos de energia entra em vigor, a gente já tenha resolvido", completou.

A energia da hidrelétrica de Tucuruí é responsável por suprir 30 por cento da necessidade do Consórcio de Alumínio do Maranhã (Alumar), formado pelas empresas Alcoa, Rio Tinto Alcan e BHP Billiton, segundo informações no site da produtora de alumínio.

Os outros 70 por cento são supridos por meio da autogeração, de acordo com Feder.

"O objetivo é no mínimo chegar a média mundial dos produtores de alumínio que é 35 dólares por megawatt-hora (MWh)", disse o executivo.

BRASIL E CENÁRIO EXTERNO

O executivo evitou falar em novos investimentos no Brasil, e ressaltou que apesar do cenário global ruim para a indústria, a não há previsão de redução da produção no Brasil.

"O momento, devido a situação global da indústria do alumínio, é de continuidade. Empresas estão fechando fábricas nos Estados Unidos, na Europa... então manter as fábricas funcionando aqui já é um grande passo", afirmou.

"Nós esperamos que um dia a situação global vai mudar, e naquele momento vamos comparar a competividiade do Braisl com o resto do mundo. Caso o Brasil saia na frente, sem dúvida nenhuma, vamos investir."

(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Fábio Couto)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAALCOAELETRONORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.