Alcoa reduz capacidade de fundição no País em 124 mil t

A companhia de alumínio Alcoa informou nesta quarta-feira, 14, que vai reduzir ou interromper completamente 164 mil toneladas de capacidade de fundição no Brasil e nos Estados Unidos. As mudanças, que fazem parte de um plano mais amplo anunciado em maio, devem ser concluídas até setembro.

Agencia Estado

14 de agosto de 2013 | 15h17

A companhia comunicou que vai reduzir temporariamente 124 mil toneladas em capacidade em unidades no Brasil, sem dar mais detalhes. Nos EUA, a companhia vai fechar permanentemente um cadinho - um componente crucial nas operações de fundição - que representa 40 mil toneladas de capacidade na sua unidade de Massena East, em Nova York.

"Os preços do alumínio, incluindo prêmios, caíram para o menor nível em quatro anos e nós continuamos a operar em um mercado incerto e volátil", disse o presidente global de produtos primários da Alcoa, Bob Wilt. Com as ações anunciadas, a companhia terá 646,8 mil toneladas (16%) de capacidade ociosa.

A companhia espera que os custos totais de reestruturação fiquem entre US$ 5 milhões e US$ 10 milhões após impostos, ou US$ 0,01 por ação no terceiro trimestre. Por volta das 14h55 (horário de Brasília), as ações da Alcoa subiam 0,74% na Bolsa de Nova York. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Alcoa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.