Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Alcoa suspende produção de alumínio primário no Brasil

Com corte no Brasil, a maior fabricante mundial de alumínio vai desativar 21% de sua capacidade total de fundição

Estadão Conteúdo

30 de março de 2015 | 09h55

A Alcoa anunciou nesta segunda-feira, 30, que vai interromper totalmente as operações de fundição da Alumar, que fica em São Luís, no Maranhão. Em comunicado, a maior fabricante mundial de alumínio informou que vai desativar a capacidade restante da Alumar, de 74 mil toneladas métricas, até 15 de abril.

A decisão está em linha com a estratégia da Alcoa de rever seu portfólio e reduzir custos. No último dia 6, a empresa informou que iria avaliar 500 mil toneladas em capacidade de fundição e 2,8 milhões de toneladas em capacidade de refino para possíveis cortes, assim como para fechamento ou venda de ativos.

Quando interromper a fundição na Alumar, a Alcoa terá cerca de 740 mil toneladas e sua capacidade de fundição desativada (ou 21% do total). No ano passado, a capacidade da Alumar já havia sido reduzida em duas ocasiões: corte de 85 mil toneladas métricas em São Luís em maio de 2014 e as 12 mil toneladas paralisadas em outubro do ano passado.

Segundo a Alcoa, as difíceis condições mundiais de produção de alumínio primário e o aumento de custos prejudicaram a competitividade da Alumar. A refinaria da unidade brasileira, porém, não será afetada e continuará operando normalmente. (Fonte: Dow Jones Newswires. Com informações da Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
alcoaaluminio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.