Álcool: preço interno sobe 46% e o de exportação, 56% nesta safra

Ribeirão Preto, 4 - Estudo elaborado pelo consultor e presidente da Câmara Setorial do Açúcar e do Álcool do Ministério da Fazenda, Luiz Carlos Corra Carvalho, aponta que o preço do álcool combustível subiu 46% no mercado interno (usinas) e 56% para exportações (no porto) desde o início da safra 2004/2005, em dólares por metro cúbico. De 1º de maio até 1º outubro, o preço do álcool sem impostos saltou de US$ 155,00 para US$ 226,00 por metro cúbico no mercado interno e de US$ 180,00 para US$ 280,00 por metro cúbico nas exportações. "Ou seja, fica claro que as exportações, que estão sendo recordes em virtude da pressão do petróleo, foram fundamentais para puxarem o preço do álcool no mercado interno", avaliou Carvalho. O Ministério da Agricultura estima que as exportações de álcool cheguem perto dos 2 bilhões de litros nesta safra. No estudo, Carvalho apurou ainda que os preços do açúcar transformados no equivalentes em álcool - para se ter uma base de comparação - apresentaram um aumento bem menor no mesmo período. Para as exportações, o açúcar, cotado em US$ 180,00 o metro cúbico-equivalente em 1º de maio, saltou para US$ 218,00 o metro cúbico-equivalente no início de outubro, aumento de 21%. Já o preço do açúcar no mercado interno subiu 27% no período, saltando de US$ 183,00 o metro cúbico-equivalente em álcool para US$ 232,00 o metro cúbico-equivalente entre maio e outubro. "Isso mostra, na minha avaliação, que o álcool poderia ter subido mais neste período e isso só não ocorreu graças ao açúcar", completou Carvalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.