Álcool: Tailândia compra 300 mil litros do Brasil

Esteio, 3 - O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, informou hoje que o Brasil fechou esta semana um contrato para a venda de 300 mil litros de álcool para a Tailândia. O negócio é um exemplo do potencial que o ministro identificou no mercado asiático para o setor de açúcar e álcool do Brasil, após retornar de uma viagem à Tailândia, na quarta-feira. Rodrigues descreveu que há um efetivo interesse pelas questões ambientais nos países asiáticos, que têm populações numerosas e estão próximos ao palco das discussões para a criação do Protocolo de Kioto, no Japão. Rodrigues lembrou que o protocolo precisa da assinatura de mais dois ou três países para entrar em vigor e, depois disso, vai exigir ações de adaptação dos países. Uma das mais viáveis no curto prazo, na avaliação do ministro, é a utilização de combustíveis renováveis. Ele lembrou dos exemplos do etanol e do biodiesel. Dentro das preocupações ambientais da região, "a Tailândia convocou reunião com 14 países asiáticos em Bangcoc esta semana para definir ações comuns dos países asiáticos na direção do etanol, no primeiro momento, e do biodiesel, no segundo", descreveu o ministro, durante entrevista na 27ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), em Esteio (RS). Com isso, Rodrigues disse que a Ásia abre três possibilidades para o Brasil. Ele citou a venda de tecnologia para a produção de álcool. A Tailândia é um produtor importante de cana-de-açúcar, disse o ministro. O país tem pouco espaço para aumentar o cultivo, mas seus vizinhos na região podem se sentir estimulados pelo exemplo tailandês, avaliou Rodrigues. Outra opção é a venda de álcool, até que o país tenha produção suficiente para suprir sua demanda, e a terceira, a exportação de açúcar, à medida em que a produção de cana se volte para o combustível, para atender as exigências ambientais. (segue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.