Alemã Siemens faz alerta de lucro e ações despencam 17%

Atrasos em projetos e pedidoscancelados forçaram o grupo de engenharia alemão Siemens aemitir um alerta sobre sua lucratividade nesta segunda-feira. Oanúncio fez as ações do grupo desabarem quase 18 por cento. "A Siemens acredita que o impacto negativo no lucro someaproximadamente 900 milhões de euros (1,2 bilhão de dólares) noatual trimestre", informou o grupo alemão em comunicado. "A expectativa é que essa quantia represente a maior partede qualquer peso financeiro adicional em 2008", acrescentou aempresa. Às 11h07 (horário de Brasília), as ações da Siemens exibiamperda de 17 por cento, puxando a queda do índice da bolsa daAlemanha. A queda para níveis não vistos desde outubro de 2006eliminou 10 bilhões de euros de valor de mercado da Siemens emduas horas. "Foi outro dia atrás que a Siemens tinha nos dito sobre seulucro maravilhoso. Como eu sei agora que eles realmente esperamter lucro?", disse Dirk Mueller, operador da corretora alemãICF. Em janeiro, o conglomerado, que produz de equipamentosferroviários a itens de iluminação, negou rumores de mercado deque a companhia poderia reduzir sua perspectiva de lucro. À época, a empresa informou que esperava vendas no anofiscal aumentando duas vezes mais que o ritmo de crescimento doproduto interno bruto global, enquanto o lucro operacionaldeveria expandir pelo menos duas vezes mais rápido que asvendas. A companhia fundada há 150 anos está vivendo seu maiorprocesso de reestruturação em duas décadas. Opresidente-executivo, Peter Loescher, tem prometido eliminar adiferença de performance da Siemens em relação a rivais como aGeneral Electric e a Philips Electronics . Em teleconferência, Loescher disse: "Estamos lidando com osremanescentes do passado." Ele se negou a fornecer novas metas para o ano fiscal quese encerra em 30 de setembro, afirmando que vai divulgar umcenário quando a companhia publicar os números do segundotrimestre, no final de abril. Já o vice-presidente financeiro da Siemens, Joe Kaeser,acrescentou que os esforços mais difíceis da companhia paramelhorar seus negócios já passaram, mas ele não excluiu apossibilidade de novos impactos nos próximos trimestres. Kaeser disse que a Siemens teve encargos de cerca de 600milhões de euros em sua unidade de usinas de energia, cerca de200 milhões de euros na unidade ferroviária e outros 100milhões de euros na divisão de tecnologia da informação SIS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.