Algodão: Icac estima produção mundial de 24 milhões/t em 2004/05

São Paulo, 6 - O Comitê Consultivo Internacional de Algodão (Icac, na sigla em inglês) divulgou sua estimativa para a safra mundial na sexta-feira: a projeção é de uma safra recorde de mais de 24 milhões de t. O clima bom e o aumento da área plantada explicam o aumento da previsão, disse o Icac durante plenária realizada em Mumbai, na Índia. O comitê observou que os avanços em tecnologia, incluindo melhora de controle de pestes, diminuem os custos de produção e ajudam a expansão da safra. Segundo o Icac, os subsídios para produção e exportação de algodão estão distorcendo as práticas comerciais e deprimem os preços no mercado internacional. Conseqüentemente, afirmou o comitê em seu press release, a estimativa para o preço médio de algodão é de aproximadamente 20 cents menor que na média das últimas cinco safras desde 1974. A queda dos preços reais da commodity vai afetar a renda dos produtores e a receita com as exportações, especialmente nos países que demoram em adotar novos métodos tecnológicos, o que resultará em pressão adicional sobre os preços. O consumo mundial de algodão em 2004/05 será estimulado pelos baixos preços da commodity, crescimento econômico e o resultado dos esforços para promover o consumo, de acordo Icac. O instituto estima que o uso de algodão pelas indústrias têxteis deve crescer 5% para mais de 22 milhões de t pela primeira vez. O comércio mundial de algodão cresceu 24% entre 2000/01 e 2003/04 e atingiu o volume recorde de 7,3 milhões de t. De acordo com o comitê, o uso e comércio mundiais de algodão será beneficiado pela total eliminação de cotas em tecidos e vestuário entre os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) a partir de janeiro de 2005. Além disso, os programas de incentivo do produto devem continuar a beneficiar o setor. As informações são da Dow Jones. (segue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.