Aliansce teve lucro de R$ 20,822 milhões no 4º tri

A operadora de shopping centers Aliansce reportou lucro líquido de R$ 20,822 milhões no quarto trimestre de 2013, cifra 53,4% menor do que no mesmo período de 2012, de acordo com balanço publicado hoje pela companhia.

CIRCE BONATELLI, Agencia Estado

27 de março de 2014 | 21h52

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 97,657 milhões, queda de 3,3% na mesma base de comparação. A margem foi de 74,8%. A receita líquida totalizou R$ 130,473 milhões, aumento de 23,6%.

O lucro da Aliansce caiu devido ao aumento das despesas financeiras no ano passado e por causa do ganho não recorrente registrado no ano anterior, o que impactou a base de comparação.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 42,397 milhões no quarto trimestre de 2013, piora de 30,1% ante o mesmo período de 2012, refletindo o maior volume de investimentos e a consequente expansão da dívida da companhia.

Vale lembrar também que, em 2012, a Aliansce contabilizou R$ 32,613 milhões no quarto trimestre e R$ 71,374 milhões no acumulado do ano referente a ganhos nas aquisições e venda de shopping centers e terrenos.

No acumulado de 2013, o lucro líquido totalizou R$ 59,017 milhões, recuo de 54,4% em relação a 2012. O lucro líquido ajustado, por sua vez, que reflete o resultado excluindo os efeitos não recorrentes e as despesas financeiras não caixa, cresceu 48,7%, para R$ 130,138 milhões.

O Ebitda em 2013 foi de R$ 320,645 milhões, leve alta de 2,5%. A margem Ebitda alcançou 71,1%. A receita líquida no ano atingiu R$ 450,715 milhões, expansão de 26,2%.

Vendas

As vendas nos shopping centers da Aliansce foram de R$ 2,389 bilhões no quarto trimestre de 2013, crescimento de 19,4% na comparação com o mesmo período de 2012. No acumulado do ano, subiram 20,0%, totalizando R$ 7,091 bilhões. A Aliansce encerrou o ano com participação em 19 shoppings em operação, totalizando 444,7 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) própria.

As vendas no conceito mesmas lojas (abertas há mais de um ano) cresceram 9,3% no quarto trimestre de 2013, patamar abaixo dos 10,1% do terceiro trimestre e dos 12,0% do quarto trimestre de 2012. No ano, as vendas mesmas lojas cresceram 9,6%.

Os aluguéis mesmas lojas subiram 10,6% no quarto trimestre e 10,8% em 2013. A companhia destacou que os shoppings da chamada "nova geração", isto é, abertos há menos de cinco anos, puxaram o desempenho dos aluguéis mesmas lojas, com alta de 17,1% no trimestre. Os aluguéis dos shoppings "maduros", com mais de cinco anos em operação, tiveram alta de 7,6%.

A taxa de ocupação dos shoppings ficou em 97,2% no quarto trimestre, resultado em linha com o dos meses anteriores. O custo de ocupação para os lojistas (medido como um porcentual das vendas) foi de 8,7%, nível abaixo da média do setor, segundo observou a companhia.

Tudo o que sabemos sobre:
Alianscebalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.