Alta da Selic tem impacto baixo na empresa, diz Renner

O presidente da Lojas Renner, José Galló, avalia que a alta da taxa básica de juros, que o Banco Central elevou para 9% na quarta-feira, 28, tem impacto baixo no negócio da empresa. O executivo, que participa de premiação da revista Istoé Dinheiro em São Paulo, destacou que o impacto dos juros na decisão de compra do consumidor é maior no caso de bens duráveis e de maior tíquete médio. Ele afirmou ainda que a possibilidade de o cliente realizar pagamentos em diversas parcelas é outro fator que favorece a venda.

DAYANNE SOUSA, FABRÍCIO DE CASTRO, WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

29 de agosto de 2013 | 21h33

Questionado sobre a performance de vendas em cenário de consumo mais desaquecido, Galló afirmou que a Renner segue ganhando participação de mercado. Na opinião de Galló, em cenários mais desafiadores grandes companhias e marcas conhecidas do consumidor tendem a ter uma performance melhor que lojistas pequenos.

O presidente da Renner afirmou que o movimento de vendas em julho e agosto tem sido positiva. Ele lembrou, porém, que a companhia teve forte crescimento de vendas mesmas lojas no terceiro trimestre de 2012, o que dificultará a comparação.

Mais conteúdo sobre:
RennerJosé galló

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.