Alta de gastos do Santander vai acelerar até dezembro

O crescimento das despesas operacionais do Santander deve se acelerar até o final do ano, chegando a um aumento de dois dígitos, afirmou o presidente do banco espanhol, Marcial Portela. O principal motivo para esse aumento é o dissídio dos bancários, que terá impacto nos resultados do quarto trimestre.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, Agencia Estado

27 de outubro de 2011 | 11h28

No acumulado do ano, até setembro, as despesas totais (incluindo amortizações) do Santander somaram R$ 10 bilhões, alta de 9,8% ante o mesmo período do ano passado. O banco também vem tendo aumento das despesas por conta da sua estratégia de expansão. Portela destaca que o Santander planeja abrir entre 100 e 120 agências por ano no Brasil no período 2011/2013.

Segundo Portela, a estratégia do Santander no Brasil é o crescimento orgânico. "Não há ativos para desinvestir nem para investir", disse ele. Recentemente, o banco se desfez de uma unidade nos Estados Unidos. Portela participa hoje de entrevista à imprensa para comentar os resultados trimestrais do banco.

Tudo o que sabemos sobre:
Santanderbalançodespesas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.