Alta de pre?os derrubar? tarifas e subs?dios, diz Stephanes

O ministro da Agricultura, ReinholdStephanes, disse na quinta-feira que as barreiras e subs?diosque dificultam a conclus?o da Rodada de Doha do com?rciomundial cair?o em cinco anos, devido ? alta dos pre?os dosalimentos, e a negocia??o diplom?tica ent?o deixaria de sernecess?ria. A alta nos pre?os agr?colas ? vista com preocupa??o, poispode levar a fome a milh?es de pessoas no mundo, mas ao mesmotempo ? uma oportunidade para os pa?ses agr?colas. "A queda dos subs?dios, das barreiras, vai acabar(ocorrendo) automaticamente, porque... at? h? poucos anos haviamais produ??o do que o necess?rio; agora se necessita mais doque se produz", disse Stephanes ? Reuters na quinta-feira. "Isso vai acontecer naturalmente, talvez n?o necessitemosde mais rodadas com discuss?es diplom?ticas. Talvez o mercadoresolva isso no futuro, essa ? a minha vis?o. Acho que (podeacontecer) em quatro ou cinco anos." Stephanes participou na quinta-feira em Montevid?u de umareuni?o do Conselho Agropecu?rio do Sul (CAS) sobre o impactoda alta de pre?os na regi?o, junto com representantes deArgentina, Bol?via, Chile, Paraguai e Uruguai. "Em pouco tempo, o consumidor europeu vai chegar ?conclus?o: 'Por que devo pagar pela carne tr?s ou quatro vezesmais s? porque h? barreiras e subs?dios, se posso comer carnemais barata de pa?ses que produzem mais barato?"', disseStephanes. Os participantes foram un?nimes em sua preocupa??o com ainfla??o, mas disseram que a regi?o deve aproveitar aconjuntura para modernizar seu setor agr?cola e ampliar suasexporta??es e importa??es. Segundo o CAS, o aumento de pre?os se deve principalmenteao crescimento da demanda na China, na ?ndia e na R?ssia, aespecula??es no mercado e ao uso intensivo de terras para aprodu??o de biocombust?veis. (Reportagem de Conrado Hornos)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.