Alta do crédito cresce rapidamente, avalia especialista

Fernando Manfio diz que brasileiro "se lambuza no crédito" e que empresas reduziram rigor na concessão de empréstimos

Equipe AE,

14 de outubro de 2007 | 20h08

O aumento da inadimplência e a expansão do crédito foram comentados pelo especialista em inteligência de risco, Fernando Manfio, em uma das mais recentes entrevistas produzidas pelo AE Broadcast ao Vivo. "As vendas de produtos de crédito no Brasil estão se acelerando rapidamente ", avaliou o sócio-diretor da WitRisk. Ouça entrevista com Fernando Manfio    Agência Estado comemora a marca de mil entrevistasOuça entrevistas selecionadas por nossos editores  Conheça a história da Agência Estado  Veja como as entrevistas são produzidasAE Broadcast é base para tomada de decisãoAE responde à popularização do mercado40 mil cotações, 5 Data Centers e 700 servidores Segundo o especialista, há novos produtos de crédito no mercado, como o empréstimo consignado, que, em conjunto com juros mais baixos, estimulam a pessoa física a contrair mais dívidas. "No Brasil, a população se lambuza de crédito", criticou em entrevista ao Broadcast Ao Vivo na última quinta-feira. Dados da Serasa mostram que, somente em agosto deste ano, a inadimplência avançou 7,6% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro a agosto, o aumento foi de 2,1% na comparação com o mesmo período de 2006.  Segundo Manfio, esse aumento da inadimplência se deve ao fato de que as vendas dos produtos de crédito estão crescendo mais rapidamente do que as empresas estão preparadas. Em parte, frisou, existe um gerenciamento de risco mais leniente por parte de bancos na concessão de crédito.  Manfio disse que existe uma lacuna entre esse rápido crescimento e o conhecimento das empresas sobre seus clientes. "À medida que o crédito cresce e os juros ficam mais baixos, as empresas têm de se profissionalizar", avaliou .

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.