Alta em viagens causou déficit em transações correntes em maio, diz corretora

Segundo BC, despesas com viagens internacionais totalizaram US$ 1,1 bilhão em maio de 2011, alta de 43,9% nas despesas de brasileiros no exterior na comparação com o mesmo mês de 2010

Anne Warth, da Agência Estado,

27 de junho de 2011 | 14h13

A economista da Cruzeiro do Sul Corretora Márcia Dantas disse nesta segunda-feira, 27, que o valor dos gastos com viagens internacionais divulgado nesta segunda-feira, 27, pelo Banco Central foi o responsável pelo resultado um pouco maior do déficit em transações correntes de maio em relação à mediana das expectativas das instituições do mercado financeiro. Conforme a Nota do Setor Externo do BC, as transações correntes do mês passado apresentaram resultado negativo de US$ 4,103 bilhões, número mais expressivo que a mediana negativa de US$ 3,775 bilhões, encontrada no levantamento que o AE Projeções realizou com os economistas do mercado. A pesquisa levava em conta um intervalo de previsões que ia de déficit de US$ 2,900 bilhões a US$ 4,600 bilhões.

"Acho que esse fator é explicado pelo aumento com despesas de viagens internacionais, que em maio do ano passado somou US$ 748 milhões", afirmou a economista à Agência Estado. De acordo com o Banco Central, as despesas com viagens internacionais totalizaram US$ 1,1 bilhão em maio de 2011, alta de 43,9% nas despesas de brasileiros no exterior e de 33,1% nas de estrangeiros no País na comparação com igual mês de 2010.

Também segundo Márcia, as despesas líquidas com transportes somaram US$ 729 milhões, alta de 33,9% em comparação ao mesmo período do ano passado. "Foi um aumento significativo em comparação aos US$ 544 milhões do mesmo período de 2010", disse.

Quanto ao total de Investimento Estrangeiro Direto (IED) divulgado hoje pelo BC, a economista avaliou que os números mostram o vigor da entrada de capital especulativo no País, que aproveita, segundo ela, as atrativas taxas de juros, e também o aumento do investimento. O IED de maio, de US$ 3,970 bilhões, veio mais próximo da projeção da mediana do mercado, que era de US$ 3,450 bilhões, conforme o levantamento do AE Projeções.

Os resultados divulgados nesta sexta pelo BC, de acordo com ela, também corroboram a previsão dos analistas do mercado para o déficit nas transações correntes neste ano, que deve totalizar cerca de US$ 55 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.