Divulgação
Divulgação

Ambev vai distribuir no carnaval barrinha de cereal que promete retardar efeito do álcool

Produto, que levará a marca Beats, será entregue gratuitamente em festas no Rio e em São Paulo

Shagaly Ferreira, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2022 | 12h01

Com o carnaval chegando, a marca Beats, da Ambev, vai lançar a On By Beats, uma barra de cereal que promete retardar os efeitos do álcool no consumidor. Fruto de um projeto piloto do Smart Drinking Lab, área de inovação da companhia para soluções de incentivo à moderação, a On By Beats ajudaria, segundo a empresa, a reduzir em 24% a absorção de álcool no corpo por caloria ingerida, segundo testes clínicos feitos no Brasil e no Canadá. Cada unidade tem 58 calorias.

Segundo a gerente institucional da Ambev, Anna Paula Alves, nesta primeira leva, o sabor ofertado para o público será o de amendoim com aveia. Sem revelar a composição completa do produto, ela explica que a diminuição dos efeitos alcoólicos vem da combinação de alimentos e ingredientes que têm potencial de retenção de álcool e que já existem produtos similares vendidos em outros países, caso da marca Sobar, disponível nos EUA.

Os foliões serão os primeiros a experimentar o produto da Ambev. A partir desta quarta-feira, 20, e até o fim deste mês, as barrinhas comestíveis serão distribuídas gratuitamente durante os desfiles das escolas de samba de São Paulo (no Anhembi) e do Rio (na Sapucaí). Unidades de On By Beats devem circular também por festas particulares relacionadas ao carnaval nas duas cidades.

 

Moderação ou incentivo?

A estratégia de criar um “antídoto” para os impactos do seu produto principal é uma atitude corajosa da Ambev, como avalia Jaime Troiano, presidente da Troiano Branding. No entanto, diz ele, é necessário fortalecer no mercado a intenção de moderação das barrinhas, para que o resultado não seja controverso, e o consumidor não veja no efeito retardante a chance de intensificar o uso de bebidas. 

Tal situação, para o especialista, é como a de outros produtos que podem gerar a sensação de proteção e de liberação ao mesmo tempo.  “A Ambev é uma empresa muito corajosa, muito organizada, muito decidida. Mas ter um bom produto, com essa eficácia, não garante por si só que ele vai ser bem compreendido. Ele precisa ser compreendido adequadamente para não ser reinterpretado pelo consumidor como uma oportunidade de poder, agora, beber ainda mais”, pondera Troiano.

Carnaval como ‘laboratório’

A experiência deve fornecer à Ambev informações sobre sabor e experiência de consumo para eventual lançamento do produto em larga escala. “Queremos testar a aptidão do consumidor brasileiro para um produto com essas características. Nos Estados Unidos, por exemplo, o produto já vem fazendo sucesso em eventos e festivais, mas, no Brasil, é algo inédito”, afirma Anna Paula. “O grande objetivo é oferecer opções, ferramentas e produtos que auxiliem os nossos consumidores a moderarem, e nada melhor que contar com a tecnologia para potencializar essa jornada de equilíbrio”, complementa.

Para fortalecer a cultura da ingestão responsável de bebidas alcoólicas, a Ambev estabeleceu o compromisso de atingir 2,5 milhões de pessoas com ações para o consumo moderado até o fim deste ano. Segundo a empresa, metade da meta já foi alcançada. Além do On By Beats, a organização mantém uma plataforma interativa para medição de hábitos relacionados à bebida alcoólica.

Modo 'sem barrinha'

Com ou sem barrinha, existem outras formas de reduzir os efeitos do álcool no organismo. Segundo a nutricionista Maiana Coqueiro, que atua em um instituto de nefrologia na Bahia, evitar a retenção de líquidos e toxinas usando os alimentos não processados é uma alternativa possível de tentar amenizar os impactos do consumo excessivo da bebida. Além de frutas com bastante água, como melão e melancia, a ingestão de verduras e legumes, como pepino, também é indicada.

A especialista pondera, entretanto, que a metabolização do álcool depende de diversos fatores, como peso corporal e grau de integridade do fígado. Assim, essa capacidade varia de indivíduo para indivíduo e por isso não existe um “modo milagroso” para potencializar esse efeito. Alimentos e bebidas diuréticas, no entanto, podem ajudar na eliminação do álcool. “Água de coco e chás podem resolver para uns, comer comida leves pode ajudar outros, mas não existe uma regra”, reforça Maiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.