Ambev desiste de construir fábrica no Rio

Entraves à concessão de incentivos fiscais para o projeto foram determinantes para a decisão da companhia

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2017 | 05h00

A cervejaria Ambev desistiu de construir uma fábrica de garrafas e latas de alumínio em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Os entraves à concessão de incentivos fiscais para o projeto foram determinantes para a decisão da companhia.

Mesmo proibido por uma liminar judicial de conceder, por decreto, benefícios e incentivos fiscais a empresas, o governo do Estado do Rio enviou no dia 5 de abril à Assembleia Legislativa (Alerj) um projeto de lei que, se aprovado, concederia à fabricante o direito de adiar por 20 anos o pagamento de ICMS de uma nova fábrica, até o valor de R$ 650 milhões.

Em nota, a cervejaria informou que a incerteza em relação ao processo de aprovação de seu investimento no Rio de Janeiro, “inclusive em função da manutenção da decisão judicial que impede a concessão de novos benefícios no Estado”, torna imprevisível a implantação da fábrica. “Diante desse cenário, o investimento no Rio torna-se inviável dentro do atual fluxo de planejamento da companhia”, acrescentou .

Pela proposta encaminhada à Alerj, ao fim do prazo de vigência do incentivo, o ICMS seria pago com uma correção de 3% ao ano. A nova unidade seria erguida ao lado de uma fábrica de cerveja da Ambev já em operação.

Em meio à crise financeira do Estado, o projeto de incentivo gerou polêmica pelo fato de o governo abrir mão do recebimento imediato de um imposto com o qual poderia quitar alguns de seus débitos. Os críticos do governo consideram que houve excesso na concessão de benefícios fiscais nos últimos anos e põem os incentivos na berlinda. O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), entretanto, defendeu o projeto em mensagem aos deputados estaduais.

Segundo ele, o novo empreendimento geraria pelo menos 200 empregos. De acordo com o governador, a fábrica estava sendo disputada por outros países, como o México. A Ambev diz que ainda não definiu para onde transferirá a fábrica.

Segundo a empresa, a nova fábrica iria gerar “aproximadamente 1.000 empregos diretos e indiretos, inclusive durante a fase de construção” e garantiria “uma arrecadação adicional de ICMS pela Ambev para o Estado do Rio de Janeiro de R$ 100 milhões, já na vigência do benefício fiscal pleiteado”.

Na nota em que confirmou a desistência do projeto, a Ambev ressaltou que seus empreendimentos no Rio geram 154 mil empregos (diretos, indiretos e induzidos) e demandaram investimentos da ordem de R$ 658 milhões no último ano.

Reversão. O secretário estadual da Casa Civil, Christino Áureo, diz que vai tentar reverter a decisão da cervejaria. “Vejo da pior forma possível (a desistência da Ambev). É muito emblemático perder um empreendimento numa hora em que a gente precisa gerar emprego”, disse ao Broadcast, sistema de noticias em tempo real do Grupo Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.