Tasso Marcelo/Estadão
Tasso Marcelo/Estadão

Lucro da Ambev vai a R$ 3,7 bilhões no 4º trimestre, com queda de 45,6%

Receita líquida totalizou R$ 22 bilhões nos últimos três meses de 2021, alta de 18,6% em relação ao mesmo período do ano anterior; empresa ligou retração à forte base comparação de 2020

Beth Moreira e Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 09h00

A Ambev registrou lucro líquido de R$ 3,747 bilhões no quarto trimestre de 2021, o que representa uma queda de 45,6% ante o reportado em igual trimestre do ano anterior. Já o lucro ajustado foi de R$ 3,885 bilhões, um recuo de 44,6% ante o mesmo período de 2020. A queda expressiva no resultado, segundo a empresa, deve-se à forte base de comparativo de 2020, quando os números foram beneficiados por créditos fiscais não recorrentes, explica a empresa em se release de resultados.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 6,784 bilhões, uma queda de 24,1% ante o apurado um ano antes. Essa linha do balanço, segundo a companhia, foi pressionada pelo impacto de câmbio, preços de commodities e, maiores despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&A), que foram afetadas principalmente por maiores provisões para remuneração variável.

A receita líquida totalizou R$ 22 bilhões nos últimos três meses de 2021, um avanço de 18,6% ante o reportado no mesmo período do ano anterior.

Em seu relatório de balançlo, a Ambev divulgou suas expectativas para 2022. O ano, segundo a companhia, que deve continuar sendo marcado pelos desafios da covid e volatilidade no curto prazo. A empresa cita como exemplo a inflação, que está pressionando a renda disponível e impactando a indústria desde o segundo semestre de 2021 em diferentes países, e a variante Ômicron, que impacta alguns mercado sdesde o fim de 2021.

"Além disso, a covid-19 também levou a pressões nos custos de insumos em 2022, que, embora menos relevantes do que em 2021, ainda representam um desafio a ser superado", afirma a empresa, em seu release de resultados.

O CEO da Ambev, Jean Jereissati, disse que  maior parte dos ajustes de preço já foi feita pela companhia. Para 2022, a companhia acredita em um mix de produtos mais vantajoso, que envolve maior participação das garrafas retornáveis.

A questão do volume ainda é uma incógnita. Para Jereissati, haverá dois carnavais pela metade em 2022, devido ao cancelamento do carnaval de rua e adiamento das comemorações. Além disso, ele lembra que a Copa do Mundo, uma importante alavanca na venda de cervejas, acontecerá no fim do ano. “Devemos estar atentos e flexíveis”, disse o executivo.

Realidade x expectativas

O Ebitda ajustado de R$ 6,78 bilhões reportado pela Ambev no quarto trimestre de 2021 ficou em linha com a média das projeções de bancos e corretoras consultados pelo serviço Prévias Broadcast, que apontava para um Ebitda ajustado de R$ 6,7 bilhões. A receita líquida de R$ 22 bilhões apurada nos últimos três meses do ano ficou 7,5% acima da média esperada, que apontava para uma receita de R$ 20,491 bilhões.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Ambev

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.