Ambev vende menos cerveja e refrigerantes no Brasil

A Ambev registrou queda de 5% no volume de cerveja comercializado no Brasil no terceiro trimestre de 2013 ante igual período de 2012. O volume total atingiu 19,635 milhões de hectolitros de julho a setembro. Em nove meses, o volume de cerveja no País ficou em 58,327 milhões de hectolitros, redução de 4,7%.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

31 de outubro de 2013 | 09h05

A companhia afirmou que a indústria de cerveja como um todo recuou 4,3%, o que a empresa atribui ao impacto da alta da inflação de alimentos acima da inflação geral e da renda disponível crescendo menos do que no ano anterior. A participação de mercado média da Ambev neste segmento no trimestre foi de 68%, queda de 50 pontos-base comparado ao mesmo período de 2012.

Apesar da queda de volume, a Ambev registrou alta de receita na operação de cervejas no Brasil. A receita líquida da divisão aumentou 0,8%, chegando a R$ 4,331 bilhões no terceiro trimestre. Como esperado por analistas, a receita da companhia foi puxada pela elevação de preços. A receita líquida por hectolitro (ROL/hl) subiu 6%, para R$ 220,6. O Ebitda ajustado da divisão de cervejas Brasil ficou em R$ 2,348 bilhões, alta de 7,3%.

"A receita por hectolitro permaneceu sólida mesmo diante da mais difícil comparação do ano graças à nossa estratégia de preços, mix de volume premium e maior peso da distribuição direta, permitindo-nos compensar a queda de volume no curto prazo e ainda entregar um crescimento da receita líquida", destacou a Ambev em sua divulgação de resultados.

O Custo do Produto Vendido (CPV) em cervejas no Brasil ficou em R$ 1,248 bilhão no trimestre, aumento de 3,1% contra o mesmo período de 2012. O CPV por hectolitro foi de R$ 63,6 de julho a setembro, alta de 8,5% na mesma comparação.

Refrigerantes e bebidas não alcoólicas

A Ambev também registrou queda nas vendas em volume de refrigerantes e bebidas não alcoólicas no Brasil no terceiro trimestre. Foram comercializados 7,272 milhões de hectolitros, diminuição de 2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

A receita líquida nesta divisão também cresceu. Subiu 5,4% na comparação anual, fechando o terceiro trimestre em R$ 876,6 milhões. "O crescimento da receita líquida se manteve em linha com a primeira metade do ano, apesar da queda do volume de 2,0%, em maior parte por causa do ambiente desafiador que também tem impactado a indústria de cerveja", informou a Ambev. A participação de mercado da companhia no segmento no trimestre foi de 18,4%, redução de 10 pontos base na comparação com o mesmo período do ano anterior.

A receita líquida por hectolitro ficou em R$ 120,5 no trimestre, aumento de 7,6%. O CPV foi de R$ 375,7 milhões, crescimento de 7,8%. O CPV por hectolitro atingiu R$ 51,7, aumento de 10%.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilAmbevlucrorefrigerentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.