Ambientalistas movem ação contra Monsanto no Canadá

São Paulo, 22 - A Monsanto do Canadá vai defender sua canola geneticamente modificada "Roundup Ready" de acusações de que a cultura estaria prejudicando agricultores orgânicos no país. A ação foi aberta na comarca de Queen's Bench em Saskatoon, oeste do Canadá. A primeira audiência será realizada entre os dias 1º e 2 de novembro. A Monsanto e Bayer Cropscience estarão juntas na ação. Do outro lado, estarão advogados representando a Larry Hoffman e Dale Beaudoin, que moveram a ação dizendo atuar em nove dos agricultores orgânicos. A Monsanto adiantou que vai dizer na audiência que Hoffman, Beaudoin e a classe que dizem representar não se enquadram nos critérios necessários para qualificação pelo Class Actions Act, lei que regulamenta ações judiciais de categorias profissionais no Canadá. Se o tribunal acatar o argumento, a ação será arquivada. "Do ponto de vista legal, nossos argumentos serão diretos e vão explicar por que acreditamos que nossos litigantes não podem ser qualificados como categoria", disse Trish Jordan, porta-voz da Monsanto Canadá. "Em um contexto mais amplo, nós acreditamos que grupos como o Diretório Orgânico de Saskatoon, o Greenpeace e Associação Britânica do Solo estão apenas utilizando a ação como uma plataforma para promover sua agenda anti-transgênicos em uma arena pública, e este não é um uso apropriado dos recursos e tempo do tribunal. Estes grupos estão apenas tentando abrir um debate científico, social e político sobre transgênicos, em vez de abrir uma disputa legal." O propósito da audiência é apenas técnico, a juíza Gene-Ann Smith apenas definirá se acolhe a denúncia, definindo se Hoffman e Beaudoin se qualificam como representantes de categoria profissional. Em caso positivo, o mérito da causa será julgado em data a ser definida posteriormente. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.