Ambipar/Divulgação
Ambipar/Divulgação

Ambipar lança IPO de seu negócio de gestão de resíduos e quer R$ 3 bi para fazer mais aquisições

Empresa de gestão ambiental decidiu enfrentar forte volatilidade do mercado e lançou oferta de subsidiária

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2021 | 14h33

A empresa de soluções ambientais Ambipar decidiu encarar a aversão ao risco do mercado e lançou a oferta inicial de ações (IPO, pela sigla em inglês) de seu negócio de gestão de resíduos, batizado de Enrivonmental ESG Participações. Para seguir com sua estratégia agressiva de aquisições, característica que tem marcado sua vida de empresa de capital aberto desde sua estreia, há um pouco mais de um ano, sua intenção é arrecadar R$ 3 bilhões na Bolsa, volume quase que três vezes superior ao IPO da “empresa-mãe” no ano passado.

Na prática, o IPO do seu braço de gestão de resíduos significará a “divisão” da empresa na Bolsa. Hoje, a Ambipar possui duas frentes de negócios. Além da área de gestão do lixo, que caminha para ser listada, ela possui o segmento de prevenção e de gerenciamento de acidentes ambientais – atuou, por exemplo, na tragédia em Brumadinho (MG), depois  do rompimento de uma barragem, em janeiro de 2019.

Com a temática ESG (ambiental, social e de governança, na sigla em inglês) em voga no mercado e alvo do apetite dos investidores, a Ambipar tem estado no centro das atenções de muitos gestores, algo que se reflete no preço da ação da empresa na B3. Desde sua abertura de capital, em agosto do ano passado, a ação dobrou de valor. “O momento da companhia a fez manter a opção (de crescimento) pelo caminho da abertura de capital de Environment, mesmo em meio à condição atual do mercado”, comenta o analista da Ativa Investimentos, Ilan Arbetman

Por isso, de olho na demanda ‘ESG” do mercado, a companhia decidiu que teria condições de manter a oferta, mesmo com um mercado muito mais desafiador. Com o sucesso da oferta, a empresa chegará avaliada na B3 com um valor entre R$ 6,3 bilhões e R$ 8,4 bilhões, e a Ambipar seguirá como controladora, com um pouco mais de 50% de participação. Para se ter uma base de comparação, a Ambipar, que hoje agrega o negócio que vai ganhar vida própria na Bolsa com o IPO, vale hoje R$ 6,4 bilhões. 

O segmento “Environmental” da Ambipar tem como um dos focos de atuação a economia circular, ajudando seus clientes a gerar valor de seu próprio lixo. No caso da indústria de bebidas, a Ambipar trabalha, por exemplo, na produção de álcool ecológico a partir de bebidas que contêm açúcar. Fora isso, consegue transformar as garrafas pet e tampinhas em máscaras de proteção N95 ou em matéria-prima para novas garrafas e tampinhas. Já na indústria de fármacos, reutiliza as sobras do colágeno utilizado no processo de fabricação de cápsulas de vitaminas e medicamentos.

Foco em aquisições

Ao longo de sua estratégia de aquisições, a empresa mirou sua internacionalização. Comprou, por exemplo, a Disal, com forte atuação na América Latina, com atuação no Chile, Peru e Paraguai, atendendo a mineradoras de cobre. Em outra aquisição recente, atacou um mercado de grande potencial de crescimento, o de crédito de carbono, segmento que tem registrado grande demanda com as empresas buscando neutralizar sua pegada de carbono. Levou, há algumas semanas, a Biofílica. Nesta segunda-feira, 20, anunciou mais uma aquisição, da Lehane Environmental, com presença na Europa.

No prospecto de sua oferta, a empresa coloca sua estratégia de aquisições como um pilar importante na jornada de seu crescimento.   “Acreditamos que parte do nosso resultado se deve a diversas aquisições de empresas estratégicas focadas em soluções ambientais, o que foi intensificado ao longo do exercício de 2021, seja no Brasil, seja na América Latina”, aponta o documento, disponível no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Segundo o prospecto, o time de fusões e aquisições da empresa “provou sua habilidade do nosso time dedicado a aquisições de integrar novos negócios de maneira bem-sucedida e ágil, trabalhando para que nossas operações gerem sinergias com operações adquiridas, permitindo a geração de valor agregado aos nossos negócios e aos nossos acionistas”.

Tensão no mercado

A empresa, contudo, não passou ilesa à maior tensão no mercado acionário. A volatilidade fez com que a Ambipar ajustasse o tamanho da oferta, mas a decisão de levar a operação adiante ocorreu pela leitura de que já existe demanda para concluir a transação. Segundo um gestor, apesar do mercado difícil, a empresa entregou mais do que o prometido no seu IPO em 2020, o que faz com que os investidores olhem para ela mesmo com uma maior aversão ao risco neste momento. 

A estreia da empresa na B3, agora ‘solo’, está agendada para o dia 11 de outubro. São coordenadores da oferta o Bradesco BBI, como líder, ao lado do Santander e UBS BB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.