Divulgação/Americanas SA
Divulgação/Americanas SA

Ame, da Americanas, aposta em seguro de vida com mensalidade a partir de R$ 5

Plataformas digitais de pagamentos entram no segmento de seguros para diversificação de receitas

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2022 | 17h00

A Ame, carteira digital da Americanas S.A., passou a oferecer a contratação de seguro de vida com mensalidade a partir de R$ 5. A empresa já oferecia modalidades mais simples de seguros, como o residencial, de celular e aparelhos portáteis, para animais de estimação e dental. 

O movimento faz parte de uma tendência de diversificação de receitas em carteiras e contas digitais. Em 2020, o Nubank também entrou no mercado de seguros de vida e criou, em 2022, um seguro para celulares. Nesta semana, o PicPay criou um seguro para transações indevidas, após roubo de celular ou operações feitas sob coação.

A Ame atingiu seu primeiro ponto de equilíbrio entre receitas e despesas em novembro de 2021 e é uma das áreas estratégicas da Americanas SA para garantir mais fontes de receita ao negócio. Além disso, a carteira digital é uma aposta da companhia para fazer com que o cliente acesse mais vezes a sua plataforma e, por isso, gaste mais ali.

O novo produto, desenvolvido em parceria com a Pulso Seguros e a MetLife, contempla cobertura por morte, invalidez por acidente, assistência funeral, diária por internação hospitalar e assistência funeral para os beneficiários, sejam eles filhos, pais, sogros ou cônjuge.

O seguro de vida é válido para contratação por pessoas de 18 a 60 anos, com reenquadramento etário após cinco anos da contratação. Além disso, não há qualquer variação de preço por atividade profissional. O valor de cobertura pode chegar a R$ 200 mil em caso de morte ou invalidez, para ser utilizado como o segurado quiser. O segurado concorre ainda a um sorteio mensal de R$ 10 mil.

Na última teleconferência com investidores, os analistas questionaram se a marca do breakeven da Ame em novembro foi pontual ou se a frente de negócios deve evoluir em rentabilidade. A CEO da Ame, Anna Saicali, limitou-se a dizer que a equipe ficou feliz com a marca e que quer continuar evoluindo.

Tudo o que sabemos sobre:
Lojas Americanaspagamento digital

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.