Amyris fecha acordo com ETH para produzir químico renovável

A norte-americana Amyris fechou um acordo com a brasileira ETH Bioenergia, empresa de etanol do grupo Odebrecht, para a produção de um químico renovável que pode servir de matéria-prima para óleo diesel, informaram as empresas nesta quinta-feira.

REUTERS

20 de outubro de 2011 | 12h47

Pelo acordo, a joint venture formada pelas empresas terá acesso a um volume de moagem de 2 milhões de toneladas de cana por ano em uma das unidades "greenfield" que a ETH está construindo no Brasil.

O objetivo da iniciativa é a produção, a partir do caldo da cana-de-açúcar, do Biofene, nome dado pela Amyris para o farneseno renovável, matéria-prima que pode ser utilizada para a produção de cosméticos, lubrificantes, combustível de aviação e óleo diesel, entre outros usos.

A joint venture será controlada pela ETH e a Amyris e terá direitos exclusivos sobre a comercialização do farneseno a ser produzido.

"Por meio desta joint venture com a ETH, e com outros acordos já fechados no Brasil, a Amyris tem agora acesso a 15 milhões de toneladas de moagem de cana para alimentar nossa produção", afirmou no comunicado John Melo, presidente-executivo da empresa.

A Amyris já fechou acordos similares com outras grandes empresas no Brasil, incluindo Bunge, Cosan e Tereos.

(Reportagem de Marcelo Teixeira)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAAMYRISETH*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.