Análise do plano da Vale para MG sai em 6 meses

O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que é vinculado ao Ministério de Minas e Energia, terá seis meses para examinar os documentos apresentados pela Vale, em Minas Gerais, sobre ações e cronogramas para implantação do plano de segurança das barragens de rejeitos de mineração da empresa. O prazo resultou de 49 acordos firmados com o Ministério Público Federal (MPF), com a intermediação da Advocacia-Geral da União (AGU).

EQUIPE AE, Agencia Estado

30 Outubro 2012 | 18h49

Segundo informações da AGU, "somente após a concordância do DNPM é que a Vale poderá executar as obras, sob pena de multa fixada no Termo de Ajustamento de Conduta, que foi assinado ainda pela Fundação Estadual do Meio Ambiente".

A celebração dos acordos, conforme a AGU, barrou novas liminares, requeridas pelo MPF, que pediam a realização de pareceres conclusivos, no prazo de 60 dias, sobre a situação das barragens.

"A área técnica do DNPM garantiu que tem condições de atender os compromissos constantes do termo que envolve análise e emissão da aprovação dos documentos apresentados pela Vale. Eles irão acompanhar a execução das obras e instalação de equipamentos que fazem parte dos Planos de Ações Corretivas e de Monitoramento", diz o texto da AGU.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.