Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

ANÁLISE-Time da Petrobras e Eike atraem investidor para OGX

Blocos escolhidos a dedo porquem entende do negócio, garantia de sociedade com umempresário que tem transformado em fortuna oportunidades denegócios e o preço elevado do petróleo estão entre os fatoresda forte demanda pela abertura de capital da OGX, do empresárioEike Batista, na próxima sexta-feira. Especialistas do setor avaliam que a contratação deexecutivos de peso da Petrobras garantiu a compra de blocospromissores na nona rodada de licitações do governo brasileiro,no ano passado, o que colocou a OGX como maior empresa privadado setor antes de furar um poço sequer. "A companhia levou um time de primeira linha, gente quesabe o que está fazendo, e com o petróleo a esse preço tem tudopara dar certo (a oferta)", avaliou o geólogo e ex-PetrobrasGiuseppe Bacoccoli. Além do ex-presidente da Petrobras, Francisco Gros, membrodo Conselho de Administração da OGX, Eike levou Rodolfo Landim,ex-presidente da BR Distribuidora com 27 anos de casa, e oex-gerente de Exploração e Produção da Petrobras, PauloMendonça. Luiz Reis, ex-gerente-geral de projetos e exploração, eNelson Guitti, ex-diretor financeiro da BR Distribuidora, todoscom mais de 20 anos de casa, também deixaram a estatal atraídospelos agressivos salários oferecidos por Eike. Segundo fonte da empresa, o plano é levar aos poucos maisprofissionais da estatal, "mas bem aos poucos, porque senãoacham que é declaração de guerra", disse a fonte. Um time desse quilate, que ainda conta com mais de 10funcionários de escalões menores também vindos da estatal,seria, na avaliação do consultor Adriano Pires, o maior trunfode Eike. "Quem escolheu os blocos da bacia de Campos, por exemplo,tinha total conhecimento, e isso deixa o investidor maisseguro... o Eike além de empreendedor não teme risco e temsorte", avaliou Pires. Na bacia de Campos, a mais madura no Brasil e responsávelpor 80 por cento do petróleo produzido no país, a OGX possuisete blocos, todos localizados em áreas adjacentes a campos depetróleo já existentes, como o de Polvo, operado pela DevonEnergy. Para Campos estaria sendo planejado o primeiro óleo da OGX,em 2011. A maioria das outras bacias estaria produzindo entre2014 e 2015, com forte incremento a partir de 2016. RESERVAS Pelo estudo de viabilidade elaborado pela tradicionalconsultoria DeGolyer & MacNaughton, os recursos potenciais dasáreas que serão ofertadas pela OGX seriam de 4,835 bilhões debarris de óleo equivalente, quase a metade das reservasprovadas da Petrobras, de cerca de 11,4 bilhões de boe. A empresa nasceria também, se adquiridas todas as ações daoferta, com 8 por cento do valor de mercado da Petrobras, ou 38bilhões de reais, segundo Pires. "Além de uma operação recorde de mercado, a empresa já vainascer com um bom valor de mercado e essa estimativa dereservas é um volume muito bom", disse Pires. Para o professor Bacoccoli, pelo fato de a bacia de Camposjá estar madura, a OGX deverá ter mais sucesso nos blocossituados nas bacias de Santos e Espírito Santo, em águas rasase profundas, que ainda não foram tão explorados como os deCampos. Na região estão situados blocos da chamada camada pré-sal,onde Eike não adquiriu nenhum ativo. Em Santos, a OGX tem cinco blocos em águas rasas, quatro danona rodada e uma participação de 50 por cento em outroadquirido de outra empresa. Desses, quatro estão localizadosperto do campo de Mexilhão, operado pela Petrobras e possuempossibilidade de óleo leve, segundo prospecto da oferta deações. Já no Espírito Santo todos os blocos estão localizados emáguas profundas e serão operados pela Perenco. "Possuem características geológicas similares às dos camposde petróleo e gás natural já descobertos nesta Bacia, tais comoos campos de Golfinho, Camarupim e Canapu, que produzempetróleo leve e gás natural", informou a OGX no prospecto. A OGX tem ainda blocos na nova fronteira da baciaPará-Maranhão, onde ainda não há descobertas mas que, segundo aOGX, possui características geológicas similares às de Gana(oeste da África), onde houve importantes descobertas depetróleo leve nos últimos anos.

DENISE LUNA, REUTERS

10 de junho de 2008 | 18h21

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAOGXANALISE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.