Analistas diminuem projeção para o PIB de 2,77% para 2,53%

 Para 2014, a estimativa mediana para o crescimento do PIB passou de 3,40% para 3,20% na pesquisa Focus

Célia Froufe, da Agência Estado,

10 de junho de 2013 | 09h25

BRASÍLIA - Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central diminuíram, mais uma vez, suas expectativas para o crescimento do País neste e no próximo ano. De acordo com o relatório de mercado Focus, a estimativa mediana para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2013 passou de 2,77% para 2,53%. No início de maio, a mediana das previsões para este indicador estava em 3,00%.

Para 2014, a estimativa mediana para o crescimento do PIB passou de 3,40% para 3,20%, se afastando ainda mais da previsão aguardada no início do mês passado, de expansão de 3,50%.

A expectativa para o crescimento do País se deteriorou, apesar da melhora da previsão para a produção industrial para este ano. Segundo a pesquisa do BC, a estimativa mediana de expansão do setor manufatureiro este ano passou de 2,50% para 2,53%. Com essa mudança, o porcentual volta para o nível visto um mês atrás. Para 2014, no entanto, a projeção mediana se manteve em 3,00% como na semana anterior. Há quatro semanas estava em 3,55%.

Juro

Depois da divulgação da ata do Copom na semana passada, economistas consultados pelo Banco Central elevaram a previsão para a Selic no fim de 2013, que passou de 8,50% ao ano para 8,75% ao ano. A taxa efetiva está atualmente em 8,00% ao ano.

Para o fim de 2014, a mediana das projeções também subiu, passando de 8,50% ao ano para 8,75%. Há quatro semanas, as duas projeções (para este e o próximo ano) estavam em 8,25% ao ano.

Com essas mudanças, houve também alteração na projeção dos analistas para a Selic média. No caso de 2013, a taxa passou de 7,88% para 8,09% ao ano e, na de 2014, de 8,50% para 8,75%. Quatro semanas atrás, esses porcentuais encontrados no relatório de mercado Focus eram de 7,81% ao ano e 8,50% ao ano, respectivamente.

Apesar de o relatório de mercado Focus apresentar a previsão de mediana de 8,75% ao ano para a Selic ao final de 2014, na coleta mensal para o indicador já é possível observar uma taxa de 9,00% ao ano para o encerramento do ano que vem.

Pela série histórica, no último dia de coleta de informações do BC com agentes do mercado financeiro (em 7 de junho) foi detectado um aumento da previsão mensal para a taxa básica de juros em novembro e dezembro de 2014. Conforme o site do BC, essa taxa é de 9,00% ao ano.

A assessoria de imprensa da autoridade monetária explicou ao Broadcast que, apesar de não ser usual, diferenças como esta podem acontecer na pesquisa, porque nem sempre as instituições que apresentam suas previsões para o comportamento de determinado indicador no fechamento do ano são as mesmas que entregam suas estimativas para a mesma variável em outro período.

Segundo a mediana vista no Focus, a Selic deve encerrar não só 2014, mas já 2013 em 8,75% ao ano.

Inflação

Depois da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que enfatizou a piora da avaliação do Banco Central para o comportamento da inflação, analistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para o IPCA neste e no próximo ano. De acordo com o relatório de mercado Focus, divulgado há pouco pelo BC, a mediana das estimativas dos economistas para o IPCA de 2013 seguiu em 5,80%, mesmo patamar visto há quatro semanas. Para 2014, a projeção para esse indicador de preços também segue em 5,80% pela quarta semana seguida, como já era verificado quatro semanas antes.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus, a previsão para o IPCA em 2013 no cenário de médio prazo subiu de 5,98% para 6,02%. Para 2014, a previsão dos cinco analistas desse grupo também aumentou, passando de 5,98% para 6,20%. Há um mês, esse grupo apostava em altas de 5,81% e de 5,40% para cada ano, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.