Anatel quer plano de operadoras de TV por assinatura

O superintendente de Serviços de Comunicação de Massa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Marconi Maia, afirmou nesta quinta-feira (27) que o órgão regulador poderá chamar mais empresas que atuam no segmento de TV por assinatura para cobrar planos de ação para solucionar as reclamações apontadas pelos clientes.

ANNE WARTH, Agencia Estado

27 de setembro de 2012 | 13h38

O órgão regulador convocou representantes das empresas GVT, Embratel e Net para reunião na manhã desta quinta, à tarde, receberá Sky e Oi. Outras empresas que atuam no setor, como Telefonica/Abril e TVA Digital, entre outras, não foram chamadas. "Elas não apareceram no nosso controle como sendo ofensoras de algo que justificasse uma reunião inicial. Mas já fomos alertados sobre outros números e já alertei a equipe que volte a visitar os números. Poderemos chamá-las, sim", afirmou.

De acordo com o vice-presidente de Operações da Net, Daniel Barros, o número de reclamações da companhia, de 0,70 por mil assinantes, está um pouco acima da meta da Anatel (0,65 por mil). "Há empresas que não estão aqui e têm indicadores piores que a Net", afirmou, sem citar nenhuma empresa de forma específica. "Temos menos reclamações do que tínhamos há um ano, porcentualmente e no todo", reiterou.

Segundo o executivo, a Net deve apresentar em 30 dias os planos de investimento da empresa em treinamento, tecnologia, redundância da rede, serviços e infraestrutura. Neste ano, foram cerca de R$ 2,5 bilhões em investimentos. Segundo ele, a ideia é elevar os gastos com atendimento e treinamento de operadores para adequar-se aos parâmetros da Anatel. "Entendemos que atender os indicadores de qualidade e ser a melhor empresa do setor não é questão de lei, mas de mercado e concorrência, pois a agressividade do mercado é elevada. É uma questão de sobrevivência", afirmou.

Maia, da Anatel, disse que a Net possui os melhores indicadores em termos de atendimento comparativamente às concorrentes, mas ponderou que ainda assim a meta do órgão regulador não está sendo atendida. "É isso que estamos cobrando, um plano de ação para que a Net retorne aos níveis que já alcançou no passado".

O superintendente disse ainda que é improvável que a Anatel chegue a punir as empresas de TV por assinatura com suspensão de vendas, pois essa ação não teria resultado na melhoria do serviço. "Eu não acredito que chegaremos a esse ponto. Com os novos planos, acredito que conseguiremos trazer para níveis aceitáveis essas reclamações".

Tudo o que sabemos sobre:
AnatelTV pagaplano de ação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.