Anheuser-Busch planeja rejeitar oferta de US$46,3 bi da InBev

A Anheuser-Busch planeja rejeitar aoferta de aquisição não solicitada feita pela InBev no valor deUS$46,3 bilhões de dólares. Na avaliação da cervejarianorte-americana, a oferta é muito baixa e subvaloriza aempresa, informou uma fonte próxima na quarta-feira. Representantes da InBev e da Anheuser-Busch não estavamdisponíveis para comentar o assunto. Ao recusar a oferta da InBev, da qual faz parte abrasileira AmBev, a Anheuser-Busch planeja promover seu próprioplano de reestruturação em breve e que incluirá a venda dasoperações de parque temático da empresa, publicou o Wall StreetJournal. O plano também vai incluir cortes de pessoal, mais de 500milhões de dólares em esforços de redução de custos e a vendada unidade de embalagens da Anheuser-Busch, publicou o New YorkTimes. "Parece acabado. É o que nós estamos esperando. A coisainteressante será o que acontecerá depois", disse Tom Pirko,presidente da Bevmark, consultoria especializada no setor dealimentos. O momento da reestruturação da Anheuser-Bush não estáclaro, mas a fonte informou que o conselho de administração dacompanhia considerou a oferta da InBev, de 65 dólares por açãoda Anheuser, muito baixo. A fonte pediu para não seridentificada porque não tem autorização da empresa para falarcom a imprensa. Pirko disse que a rejeição da oferta abre caminho para aInBev para aumentar a proposta ou levar a oferta diretamenteaos acionistas da cervejaria norte-americana, em uma operaçãoque pode criar a maior fabricante de cervejas do mundo, capazde produzir um quarto da bebida do mundo. A InBev está preparada para levar sua oferta aos acionistasda Anheuser-Busch, publicou o Wall Street Journal. A InBev, noentanto, ainda precisa se decidir por esse caminho. "Seria surpreendente pensar que Brito, que já está com oosso na boca, desistiria", disse Pirko, referindo-se aopresidente-executivo da InBev, Carlos Brito. A Anheuser-Busch tem poucas defesas para evitar uma ofertahostil. A InBev informou na quarta-feira que tem cartas decompromisso para o financiamento de uma transação e que pagou50 milhões de dólares em taxas junto a um grupo de 10 bancosfinanciadores da empresa. Já fazem duas semanas desde que a companhiabelga-brasileira lançou sua oferta pela Anheuser-Busch e acervejaria norte-americana ainda não se posicionouoficialmente. Analistas afirmam que se a Anheuser tentar adiar por muitotempo as negociações, a InBev pode simplesmente levar suaoferta aos acionistas. Isso seria ruim para a cervejarianorte-americana já que a oferta da InBev daria um prêmiosignificativo aos acionistas que a Anheuser teria dificuldadesem equiparar, de acordo com os especialistas. A oferta da InBev é 24 por cento maior que o valor defechamento da ação da Anheuser-Busch um dia antes das primeirasnotícias sobre a proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.