Antes promissora, colombiana Ecopetrol tem dificuldades

Muitos dos que investem na América Latina se perguntam o que houve com a Ecopetrol, a petrolífera estatal colombiana cujo valor de mercado chegou a superar brevemente o da brasileira Petrobras em 2012. Desde então, vieram as dificuldades para a companhia, com descumprimento de metas de produção e nenhuma grande nova descoberta de petróleo.

Agencia Estado

29 de abril de 2013 | 14h08

Previa-se que a Ecopetrol brilharia neste ano, com a Colômbia, a quarta maior economia e terceiro país mais populoso da América Latina, começando a bombear um recorde de 1 milhão de barris por dia de petróleo e o governo tendo fechado um acordo de paz com rebeldes esquerdistas que lançam ataques frequentes a oleodutos. A Ecopetrol, na qual o governo tem participação de 89%, é a maior empresa colombiana e responde por 60% da produção total de petróleo do país.

Alguns chegaram a pensar que a Ecopetrol poderia se igualar a outras grandes petrolíferas latino-americanas, como a Petrobras, a venezuelana PDVSA ou a mexicana Pemex.

As expectativas, no entanto, desapareceram depois de a Ecopetrol não conseguir atingir sua meta de produção no ano passado, ver os lucros caírem mais que o esperado e registrar uma forte alta nos custos por causa de prejuízos causados a seus oleodutos por ataques da guerrilha local. Além de a Ecopetrol não ter feito novas descobertas significativas, os investidores se preocupam com os preços internacionais do petróleo, que têm apontado para baixo.

A ação da Ecopetrol caiu 20% desde o começo do ano, ante uma queda de 6% do principal índice acionário de Bogotá, e está 25% abaixo de sua máxima histórica, atingida há um ano.

Juan David Ballén, da corretora Alianza Valores e um dos principais analistas colombianos do setor de energia, atribui o recuo na ação a problemas cada vez maiores. Segundo Ballén, investidores que fizeram a ação subir quase quatro vezes o valor que venderam na oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da Ecopetrol, em 2007, esperavam um crescimento astronômico dos lucros que compensasse a estagnação das reservas de petróleo da empresa.

Com 1,9 bilhão de barris de óleo equivalente em reservas comprovadas, e uma capitalização de mercado de US$ 97 bilhões, o valor de mercado em relação às reservas da Ecopetrol a torna mais cara que a Petrobras ou a norte-americana ExxonMobil. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Ecopetrolinvestimentoanálise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.