Aperto fiscal da Itália deveria ser baseado em cortes de gastos, diz Rehn

Para comissário da UE, país deveria cortar as despesas públicas em mais de 50% ao invés de aumentar impostos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

25 de novembro de 2011 | 16h13

O comissário da União Europeia para Assuntos Monetários e Econômicos, Olli Rehn, disse que seria mais apropriado a Itália ajustar seu orçamento "cortando as despesas públicas em mais de 50%" em vez de aumentar impostos, mas ressaltou que "cabe ao governo decidir" sobre o assunto.

Ele acrescentou que "recebeu muita informação" durante visita ao primeiro-ministro italiano, Mario Monti, nesta sexta-feira, e disse que a Itália precisa manter uma política fiscal "firme e estável", além de adotar uma abordagem estilo "carrossel holandês" em relação ao crescimento econômico. O "Carrossel Holandês" é uma estratégia do futebol na qual os jogadores trocam constantemente de posição.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
apertoitáliacriseOlli Rehn

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.