Camila Domingues/Divulgação
Camila Domingues/Divulgação

Apesar da seca, Brasil terá safra recorde em 2014 e 2015, diz IBGE

Resultado de 2014 supera em 2,8% o cultivo de 2013, com 193,5 milhões de toneladas; para o ano que vem, este número deve ser superado em 2,5%

Daniela Amorim, Tomas Okuda, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2014 | 10h22

De acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apesar da seca, a safra deste ano será novamente recorde. O plantio de 2014 supera em 2,8% o cultivo de 2013, com 193,5 milhões de toneladas. Para o ano que vem, o recorde deve ser superado em 2,5%, com 198,3 milhões de toneladas. 

O País deve colher 56,2 milhões de hectares na safra deste ano, um aumento de 6,3% em relação à área colhida em 2013, equivalente a 52,8 milhões de hectares a mais,de acordo com o IBGE. 

A região Centro-Oeste vem puxando três anos consecutivos de recorde na safra de grãos no País, apesar das adversidades climáticas. Em 2014, a região responderá por 82,1 milhões de toneladas da safra de grãos; seguida pelo Sul, com 72,3 milhões de toneladas; pelo Sudeste, com 17,8 milhões de toneladas; Nordeste, com 15,8 milhões de toneladas; e Norte, com 5,5 milhões de toneladas. 

O arroz, o milho e a soja - que somados representaram 91,4% da estimativa da produção - responderam por 85,0% da área a ser colhida em 2014. Em relação ao ano anterior, houve aumento de 660 hectares na área de arroz e de 8,3% na área da soja. Na direção oposta, o milho teve sua área a ser colhida reduzida em 0,7%.  Quanto à produção, o arroz terá um aumento de 3,4%, e a soja um crescimento de 5,6%. Já o milho prevê diminuição de 2,7% na comparação com 2013.

Conab. A produção de grãos na safra 2014/15 deve alcançar entre 194,4 milhões e 200 milhões de toneladas, o que corresponde a uma variação de menos 0,1% a mais 2,7%, em comparação com o período anterior (194,7 milhões de toneladas). O dado faz parte do segundo levantamento de intenção de plantio, divulgado hoje pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O efeito da seca no norte da região Sul, no Sudeste e no Centro-Oeste impactaram no desempenho do plantio da safra 2014/15, conforme o balanço da Conab. De modo geral, "o atraso se deu entre 5% e 12% da área plantada", disse o diretor de Política Agrícola e Informações da estatal, João Marcelo Intini. "Houve um adiamento de toda a instalação das lavouras", observou.

Soja. Apesar do atraso no plantio, a Conab estima ainda que o País possa bater o recorde da safra de soja entre 89,3 milhões de toneladas e 91,7 milhões de toneladas. "As condições climáticas indicam recorde de safra. Então, a conjuntura de preço, condições climáticas e de pacote tecnológico deve somar para uma conjuntura muito favorável de expansão da safra brasileira", indicou.

Já o excesso de chuva no Rio Grande do Sul prejudicou a colheita e qualidade do trigo do Estado, o que deve levar a uma "pequena importação" para compensar a produção abaixo da esperada. "Aparentemente há uma forte redução do volume de trigo que era esperado", disse, indicando que a quebra da safra gaúcha pode chegar a 35% do volume esperado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.