Aplicações do FGTS na oferta da Petrobrás somaram R$ 423,7 milhões

Segundo a Caixa, 25.544 trabalhadores solicitaram aplicação, que obedeceu limite de 30% do saldo; demanda chegou a R$ 563,3 milhões

Agência Estado,

27 de setembro de 2010 | 19h31

A Caixa Econômica Federal registrou a aplicação de R$ 423,757 milhões de recursos do FGTS na oferta de ações da Petrobrás. Foram, ao todo, 31.273 contas pertencentes a 25.544 trabalhadores. O uso dos recursos do FGTS na operação era permitido a quem havia aderido aos fundos mútuos de privatização (FMP) que adquiriram ações da Petrobrás em 2000. Segundo o banco, o processo envolveu a participação de 25 administradoras e 46 fundos mútuos de privatização.

Em comunicado, a Caixa informou que a quantia investida observou o limite de 30% do saldo de FGTS ou o direito de prioridade (proporção do que o cotista tinha de investimento em 2000 e precisa aplicar agora para manter o nível de participação), sempre o menor dos dois. "Foram pedidos R$ 563,3 milhões e liberados somente R$ 423,7 milhões em razão da aplicação desses limitadores", afirmou o superintendente nacional da Caixa para assuntos de FGTS, José Maria Leão.

Após o débito, haverá o período de carência de um ano para que o trabalhador possa retirar o investimento e retorná-lo à conta vinculada do FGTS. As hipóteses para resgate das aplicações são as mesmas definidas para o saque do FGTS e não estão sujeitas ao período de carência. Os valores aplicados via FGTS serão repassados na quarta-feira, data da liquidação da oferta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.