Após 2 meses de alta, maioria dos indicadores industriais cai em maio

Vendas do setor caíram 0,5% ante abril, enquanto as horas trabalhadas tiveram recuo de 3,6%, segundo a CNI

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

08 de julho de 2013 | 14h48

Interrompendo uma sequência de dois meses com resultados positivos, os indicadores industriais de maio, na sua maioria, registraram queda em relação ao mês anterior. Segundo dados divulgados na tarde desta segunda-feira, 08, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a série dessazonalizada aponta que a utilização da capacidade instalada ficou em 82,2% em maio ante 82,9% em abril. Em maio de 2012, era de 82,1%. 

As vendas reais da indústria caíram 0,5% em maio ante abril, mas subiram 6,1% ante maio de 2012. No acumulado de janeiro a maio, as vendas reais avançaram 6,2% na comparação com os cinco primeiros meses de 2012.

As horas trabalhadas na indústria tiveram queda de 3,6% em maio ante abril e recuo de 1,3% em relação a maio de 2012. No ano, as horas trabalhadas não tiveram variação, com estabilidade em relação ao mesmo período do ano passado.

No emprego, a indústria mostrou uma queda de 0,2% em maio ante abril e alta de 0,4% em relação a maio de 2012. No ano, o emprego industrial registra um aumento de 0,5% ante igual intervalo do ano anterior.

A massa salarial real apresentou aumento de 0,5% em maio ante abril e de 3% em relação a maio de 2012. No acumulado do ano, a massa salarial real subiu 2% ante janeiro a maio de 2012.

Recuperação perde intensidade

A recuperação da indústria, que se apresentava forte nos indicadores de abril, frente ao mesmo mês do ano anterior, perdeu intensidade em maio, segundo a CNI.

Em abril, a maioria dos setores registrou crescimento nos diversos indicadores de atividade, mas em maio o bom desempenho ficou limitado a um número menor de setores. Segundo a CNI, as vendas reais (faturamento real) cresceram em 13 setores da indústrias de transformação, cinco a menos que em abril. Já as horas trabalhadas na produção aumentaram em maio em apenas nove setores, praticamente a metade do registrado em abril.

A CNI destaca, no entanto, o desempenho no setor de vestuário, que registrou crescimento em todos os indicadores de maio, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O faturamento do setor avançou 5,6% e as horas trabalhadas, 5,8%, sendo que o crescimento deste último indicador foi o maior entre os 21 setores pesquisados.

Tudo o que sabemos sobre:
CNIindicadoresmaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.