Após atentado na Noruega, Dinamarca revisa regras para fertilizantes

Suspeita-se que homem acusado de ser responsável pelo ataque tenha comprado toneladas de fertilizantes de nitrato de amônio, que foram utilizados na fabricação de explosivos

Filipe Domingues, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 14h11

O atentado na Noruega que ocorreu na sexta-feira e provocou ao menos 76 mortes levou o ministério da justiça da Dinamarca a ordenar uma revisão das regras de vendas de fertilizantes. Suspeita-se que homem acusado de ser responsável pelo ataque, Anders Behring Breivik, tenha comprado toneladas de fertilizantes de nitrato de amônio, em maio, que foram utilizados na fabricação de explosivos.

"Precisamos aprender com esse episódio e é sensato que olhemos para as regras sobre vendas de fertilizantes artificiais, para ver se há uma necessidade de torná-las mais restritivas", disse o ministro Lars Barfoed à rádio nacional dinamarquesa. "Pode ser que peçamos um relatório se uma companhia comprar subitamente uma grande e incomum quantidade de fertilizantes", acrescentou.

Segundo as regras atuais da Dinamarca, pessoas físicas só podem comprar fertilizantes com baixo conteúdo de nitrato de amônio. As companhias que precisam de níveis mais elevados da substância precisam se registrar junto às autoridades.

A companhia Danish DLG, responsável pela maior parte das vendas de fertilizantes na Dinamarca, afirmou que os fertilizantes com baixo teor de nitrato de amônio podem ser substituídos por produtos com níveis inferiores. "Há alternativas ao N34 (produto com 34% de nitrato de amônio), que é o tipo do qual se costuma ouvir em ataques terroristas. Produtores podem trabalhar com 27%", afirmou à France Presse o CEO da DLG, Lars Johansen, mas lembrando que esse tipo de fertilizante costuma ser mais caro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
atentadonoruegadinamarcanoruega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.