Sérgio Dutti/Estadão - 2/7/2009
Sérgio Dutti/Estadão - 2/7/2009

Após dez anos, fábrica da Caoa em Goiás volta a operar com dois turnos de trabalho

Para formar a equipe, grupo contratou 385 novos funcionários nas últimas semanas, mas prevê a abertura de novas vagas; expansão faz parte do plano de investimento de R$ 1,5 bi da Caoa

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2021 | 19h32

A fábrica da Caoa em Anápolis (GO), que produz modelos da coreana Hyundai e da chinesa Chery, voltou a operar nesta semana com um segundo turno de trabalho, após dez anos funcionando com apenas uma equipe de trabalho. Com o novo turno, o grupo contratou 385 novos funcionários nas últimas semanas e prevê abertura de novas vagas.

No primeiro semestre a empresa já havia aberto 404 vagas e hoje emprega 2,3 mil funcionários. De acordo com o grupo, as contratações têm como objetivo suprir o crescimento de volume da marca Caoa Chery na unidade fabril e fazem parte do plano de investimento quinquenal da montadora, de R$ 1,5 bilhão, anunciado no ano passado.

“Temos muito orgulho, como uma montadora 100% nacional, em seguir investindo no Brasil”, disse, em nota, o presidente da Caoa, Mauro Correia. “Só neste ano, houve a criação de 789 novos postos de trabalho diretos e esperamos realizar novas contratações nos próximos dias.”

Com os novos postos e o início do segundo turno de trabalho, a capacidade de produção da fábrica aumentou em 28%. Até 2023, a intenção do grupo é atingir capacidade anual de 150 mil veículos. A unidade produz  três utilitários-esportivos (SUVs) da linha Caoa Chery: Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo 8, os modelos Hyundai IX35 e New Tucson e os comerciais Hyundai HR e HD80. A fábrica de Jacareí (SP), em parceria com a chinesa Chery, produz o sedã Azzera e utilitários pequenos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.