Após dois anos de recessão, economia da Espanha volta a crescer

Crescimento do PIB de 0,1% no 3º trimestre foi impulsionado pelas exportações, que atingiram recorde de € 155,8 bilhões no acumulado dos oito primeiros meses do ano

Fernando Ladeira, da Agência Estado,

23 de outubro de 2013 | 09h45

A recessão da Espanha, que já durava dois anos, chegou ao fim no terceiro trimestre, segundo avaliação publicada nesta quarta-feira, 23, pelo Banco Central do país. Em sua primeira estimativa oficial para o trimestre encerrado em setembro, o Banco da Espanha calcula que o Produto Interno Bruto (PIB) teve uma ligeira alta de 0,1% ante o segundo trimestre.

Na mesma comparação, a demanda doméstica teria mostrado contração de 0,3%, compensada por uma contribuição maior do setor exportador. A Espanha é a quarta maior economia da zona do euro.

A projeção do BC espanhol é igual à do governo e suas estimativas costumam ficar em linha com as do Instituto Nacional de Estatística (INE), que planeja divulgar sua previsão de PIB para o terceiro trimestre no próximo dia 30.

O anúncio ocorre em uma semana em que estudantes do país protestam contra o corte de gastos do governo na educação. Na Universidade Complutense, estudantes invadiam as salas convocando os demais para os protestos.

Exportações

As exportações da Espanha atingiram um novo recorde de 155,798 bilhões de euros no acumulado dos oito primeiros meses do ano, informou o Ministério da Economia. O valor representa uma alta de 7% sobre mesmo período do ano anterior e é o maior número desde o início da série histórica, em 1971.

O déficit comercial da Espanha caiu 64% entre janeiro e agosto, na comparação com o mesmo período de 2012. Entre janeiro e agosto, o déficit comercial somou 8,420 bilhões de euros. Esse é visto pela União Europeia como um forte sinal de que a economia espanhola está bem posicionada para uma recuperação econômica.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaeconomiarecessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.