Após IPO recorde, chinesa Alibaba recebe aval para criar banco

Gigante do e-commerce vai criar um banco privado na China por meio do seu braço financeiro, o Alibaba Group Holding

O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2014 | 22h44

 Após uma oferta pública inicial que levantou US$ 25 bilhões nos Estados Unidos, a gigante do e-commerce Alibaba recebeu, nesta segunda-feira, uma autorização do governo chinês para criar um banco privado, por meio do seu braço financeiro, o Alibaba Group Holding. A informação é do regulador do setor bancário da China. 

Esse é mais um passo da companhia no setor de serviços financeiros. A Zhejiang Ant Small & Micro Financial Services Group, afiliada do Alibaba que engloba o braço de processamento de pagamentos Alipay, terá 30% do banco. Outros sócios ficarão com o restante.

A aprovação é parte de mais uma fornada de bancos privados na China e faz parte de um programa piloto lançado neste ano, numa tentativa do governo chinês de abrir seu setor bancário a investidores privados.

Nesta segunda-feira, a empresa também anunciou ao mercado que vai investir cerca de US$ 457 milhões para adquirir 15% de uma companhia que oferece serviços de tecnologia para hotéis, a Beijing Shiji.

O investimento na Beijing Shiji, que tem clientes na China, é o primeiro grande acordo do grupo depois de ter aberto capital na Bolsa de Nova York, no maior IPO (sigla, em inglês, de oferta inicial de ações) da história. A aliança pode ajudar o Alibaba a ampliar sua atuação no negócio de reservas online.

Usando o sistema de pagamento eletrônico desenvolvido pela filial Alipay, o Alibaba já permite que os usuários paguem refeições em restaurantes, táxi e vários outros serviços off-line, por meio de aplicativos para dispositivos móveis. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.