Após rebaixamento, Itália vai cortar estimativa para o PIB, diz jornal

Segundo o jornal, governo liderado pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi vai cortar as projeções de crescimento de 1,1% para 0,7% em 2011

Hélio Barboza, da Agência Estado,

20 de setembro de 2011 | 07h46

O governo italiano está prestes a revisar sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011 de 1,1% para 0,7%, segundo informou, em sua edição desta terça-feira, o jornal italiano "Corriere della Sera". O governo liderado pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi também vai cortar as projeções para 2012, de 1,3% para cerca de 1%, acrescentou o jornal.

Ontem, a agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) divulgou em um comunicado que rebaixou o rating de longo prazo da dívida soberana da Itália para A, de A+, e o rating de curto prazo para A-1, de A-1+, atribuindo perspectiva negativa para ambos.

As novas previsões poderão ser discutidas e anunciadas antes da reunião do gabinete que pode ser convocada para o final desta semana, disse o jornal.

Títulos

O Banco Central Europeu (BCE) comprou títulos do governo italiano, disseram três traders familiarizados com a questão. "Eles compraram Itália em pequenos lotes e vimos o bônus de oito anos sendo escolhido", disse um trader em Londres.

O yield (retorno para o investidor) do bônus de 10 anos do governo italiano estava com alta de três pontos-base no dia, negociado a 5,603%, distante de uma máxima anterior de 5,67%.

O governo italiano ficou sob pressão na abertura dos mercados nesta terça-feira depois que a Standard & Poor's cortou, ontem à noite, o rating da dívida do país em uma nota, para "A" e manteve os papéis em perspectiva negativa. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.