Apple pondera sucessão de CEO na ausência de Jobs

Desde que Steve Jobs se licenciou do trabalho por questões de saúde, alguns membros do comitê executivo da Apple discutiram a sucessão do executivo-chefe da empresa com especialistas em recrutamento e pelo menos um chefe de uma importante companhia de tecnologia, disseram fontes ao Wall Street Journal.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

19 de julho de 2011 | 18h14

As conversações não foram explicitamente destinadas a recrutar um novo executivo-chefe e se trataram mais de exploração informal das opções da companhia, segundo as fontes. Os diretores aparentemente não agiram em nome do comitê, disseram alguns dos envolvidos. A Apple tem sete diretores, incluindo Steve Jobs.

Não está claro se Jobs estava ciente das discussões. Em resposta a perguntas do WSJ sobre as discussões, Jobs disse segunda-feira em um e-mail que achava que se trata de conversa sem sentido. Um porta-voz da Apple não quis comentar o assunto.

As conversas ocorreram depois que Jobs, 56 anos, tirou sua segunda licença médica em dois anos em janeiro por uma doença não revelada. Ele continua executivo-chefe e ativo durante a licença, segundo outras pessoas próximas à companhia. Mas ele abandonou algumas tarefas cotidianas e não marcou uma data para retornar totalmente ao trabalho. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
tecnologiaAppleSteve Jobs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.