Apple volta ao mercado com US$ 12 bi em bônus

A Apple está vendendo US$ 12 bilhões em bônus em sete partes nesta terça-feira, um ano após levantar US$ 17 bilhões com venda de títulos, no que na época foi a maior operação de venda de bônus corporativos já registrada. Os vencimentos dos títulos oferecidos hoje vão de três a 30 anos, e os bônus estão sendo oferecidos com taxas de juros fixas e flutuantes. Investidores fizeram mais de US$ 40 bilhões em propostas, de acordo com pessoas que acompanham a venda, e o tamanho do negócio é maior do que os US$ 8 bilhões a US$ 10 bilhões previstos no início do dia.

AE, Agencia Estado

29 de abril de 2014 | 16h05

Os bônus de dez anos estão sendo oferecidos com yield (retorno ao investidor) 0,77 ponto porcentual acima dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos de mesmo prazo. Já os títulos de 30 anos estão sendo oferecidos com yield 1,00 ponto porcentual acima dos Treasuries de 30 anos. O negócio está sendo conduzido por Deutsche Bank Securities e Goldman Sachs, que também geriram a venda de títulos da Apple do ano passado.

Na teleconferência sobre o balanço, na semana passada, a Apple indicou que voltaria ao mercado de bônus este ano e que tentaria vender uma quantidade de bônus "similar" à negociada no ano passado. A empresa indicou que os títulos seriam vendidos tanto nos EUA como fora do país. Os recursos obtidos com a venda de bônus serão usados para pagar a recompra de ações e os dividendos, de acordo com um prospecto. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Applebônusvenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.