Aprovada por maioria a venda da OGX Maranhão

Advogado Daniel Ferreira, do escritório Mesquita Pereira, Marcelino, Almeida, Esteves Advogados votou contra a venda

VINICIUS NEDER, Agencia Estado

26 de novembro de 2013 | 11h57

A OGX, petroleira do grupo do empresário Eike Batista, aprovou nesta terça-feira, 26, em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), a venda da OGX Maranhão para a empresa de investimentos Cambuhy, operação anunciada em 31 de outubro, dia seguinte ao pedido de recuperação judicial da companhia à Justiça do Rio. A aprovação foi por maioria.

A AGE, no Rio, durou poucos minutos, com poucos acionistas presentes. A aprovação não foi unânime porque um fundo estrangeiro, representado pelo advogado Daniel Ferreira, do escritório Mesquita Pereira, Marcelino, Almeida, Esteves Advogados, votou contra.

A assembleia foi presidida pelo presidente e diretor de relações com investidores da OGX, Paulo Narcélio. O executivo recusou-se a dar entrevistas, confirmando apenas que "todos os esforços" da companhia estão voltados para o desenvolvimento do campo de Tubarão Martelo.

Em conversa com acionistas, Narcélio informou apenas que o plano da empresa é começar a produção no campo com dois poços. Segundo o presidente da OGX, um poço já está conectado, mas condições adversas do mar estão atrasando a conexão do segundo.

Tudo o que sabemos sobre:
OGX MaranhãoAssembleiavenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.