Aralco nega conversas externas para aporte de capital

O diretor de Relações com Investidores do Grupo Aralco, Yutaka Lima, disse durante teleconferência com analistas nesta sexta-feira, 7, que não existem atualmente conversas para um aporte de capital na companhia. "Se acontecer não será pelos atuais acionistas, por terceira parte, mas nesse momento não estamos negociando com ninguém isso'', disse.

CYNTHIA DECLOEDT E JOSÉ ROBERTO GOMES, Agencia Estado

07 de março de 2014 | 14h29

O executivo explicou também que como a companhia abriu processo de recuperação judicial, a venda das propriedades urbanas prevista para fazer caixa tem de ser aprovada pelos credores, mas que a pré-venda de produtos e a da destilaria podem ser negociadas independentemente.

Lima acrescentou que a pré-venda de produtos é de etanol e que espera fechar esse acordo na próxima semana. "Nos próximos dias, também esperamos ter notícias da venda da destilaria", disse.

Anteriormente, Lima havia dito que pretende no curto prazo receber em adiantado parcelas da venda de sua destilaria, avaliada entre R$ 25 milhões a R$ 30 milhões, e pré-vender produtos da próxima safra para fazer frente às necessidades de investimento da safra 2014/2015. Posteriormente, a Aralco espera obter também entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões com a venda de propriedades em áreas urbanas e ações na Copersucar que, de acordo com ele, têm valor de mercado de R$ 20 milhões.

A destilaria da companhia, chamada Generalco, está localizada em General Salgado, no Estado de São Paulo. A companhia entrou com pedido de recuperação judicial na sexta-feira, 28 de fevereiro, diante de dívidas que superam R$ 1 bilhão. Os principais credores são os detentores de US$ 250 milhões em bônus emitidos no exterior e o Credit Suisse, com US$ 130 milhões. (dao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
Aralcoaporte capital

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.