ArcelorMittal comprará restante da China Oriental por US$1,7 bi

A ArcelorMittal, maior siderúrgica domundo, confirmou nesta sexta-feira plano de 1,7 bilhão dedólares para comprar o restante do China Oriental Group einformou que vai fornecer tecnologia e capital para ajudar aprodutora de aço chinesa a aumentar sua capacidade anual emdois terços, para 10 milhões de toneladas. "A China Oriental é pequena para a ArcelorMittal, mas elafornece uma plataforma para a gigante siderúrgica se expandirna China, especialmente no setor de aço para construção civil,que é altamente fragmentado", disse Helen Lau, analista doDaiwa Institute of Research. Pequim tem pressionado a consolidação de sua fragmentada econcorrida indústria siderúrgica há anos, encorajando fusõesentre grandes nomes nacionais, mas investidores estrangeirosainda não têm permissão para controlarem mais de 50 por centode grandes usinas de aço. A compra da China Oriental é uma oportunidade rara para aArcelorMittral, que por anos tem tentado comprar umaparticipação maior no principal país consumidor e produtor deaço, disse Lau. A China Oriental é uma companhia privada registrada fora dopaís asiático. A ArcelorMittal, que comprou participação de 28,02 porcento na China Oriental por 644 milhões de dólares em novembro,planeja oferecer não menos do que 6,12 dólares de Hong Kongpelo restante das ações. Incluindo o valor da primeira compra de participação naempresa, a transação com a China Oriental vale mais de 2,3bilhões de dólares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.