ArcelorMittal enfrenta sabatina sobre recessão

A ArcelorMittal, maior produtora de aço do mundo, vai enfrentar questionamentos sobre sua resposta à rápida desaceleração global nesta sexta-feira, na primeira revisão de negócios desde o tombo dos mercados acionários do mês passado.

PHILI, REUTERS

23 de setembro de 2011 | 08h35

A companhia promove reunião de acionistas que deve começar às 12h30 GMT (9h30 horário de Brasília) em um cenário muito menos positivo de quando afirmou no fim de julho que não via repetição da acentuada crise do segundo semestre do ano passado.

O grupo desde então revelou planos para paralisar três alto-fornos na Europa --na Bélgica, França e Alemanha-- por causa da baixa demanda. Nova fraqueza na demanda, preços menores de aço e desestocagem podem forçar novos cortes de capacidade nas próximas semanas.

A empresa cortou sua produção em cerca de 50 por cento no auge da crise de 2008/2009 e apesar de alguns poucos esperarem uma medida tão radical agora, analistas dizem que a companhia vai provavelmente se focar em plano de corte de custos, que não tem sido tema central de apresentações este ano.

As ações da ArcelorMittal caíram 50 por cento nos últimos dois meses, enquanto o índice STOXX 600 acumula desvalorização de 20 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAARCELORMITTALQUESTOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.