ArcelorMittal prevê melhora da demanda internacional

O presidente da ArcelorMittal Brasil, Benjamin Baptista, informou que a companhia vai retomar as operações do alto-forno 3, em Tubarão, em junho do ano que vem. Pela primeira vez desde a crise de 2008 a companhia voltará a operar com três altos-fornos na unidade.

MARIANA DURÃO, Agencia Estado

27 de novembro de 2013 | 16h06

"A nossa decisão não está ligada à situação doméstica, mas internacional. Toda produção decorrente do alto-forno 3 será de placas para exportação", disse, citando uma perspectiva de retomada da economia americana e da Europa que, segundo ele, já chegou ao "fundo do poço". A avaliação é de que o mercado de placas nessas regiões deve ter uma melhora no próximo ano.

Com a crise de 2008 a companhia desligou seu alto-forno 2. Em novembro do ano passado ele voltou a operar e o forno 3 foi desligado para reparos. De acordo com o executivo, atualmente a capacidade em operação é de 5 milhões de toneladas/ano e, com a retomada do equipamento, passará a 7,5 milhões de toneladas. O tempo para que o forno 3 atinja sua capacidade nominal é estimado em 3 meses.

Baptista assumirá em janeiro a presidência do conselho diretor do Instituto Aço Brasil (IABr), em substituição a Albano Chagas Vieira, da Votorantim Siderurgia. O presidente da Usiminas, Julian Eguren, será o vice-presidente. O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa sobre projeções para 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
ArcelorMittaldemanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.