Arcos Dorados reforça iniciativas de empregabilidade e impacta 400 mil jovens
Conteúdo Patrocinado

Arcos Dorados reforça iniciativas de empregabilidade e impacta 400 mil jovens

Com uma atuação histórica marcada por iniciativas voltadas à comunidade e ao meio ambiente, operadora do McDonald’s acelera o passo com a plataforma Receita do Futuro

Arcos Dorados, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

29 de julho de 2022 | 09h04

A busca por iniciativas que ajudem na preservação ambiental e por políticas voltadas à comunidade tornou-se imperativa no mundo dos negócios. São as chamadas práticas ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) que marcam uma guinada na forma de atuação das grandes empresas. Os desafios para atingir as metas ESG são enormes, mas, enquanto algumas companhias dão os primeiros passos, outras aceleram o ritmo. É o caso da Arcos Dorados, franquia que opera a marca McDonald’s em 20 países da América Latina e Caribe e tem um olhar para práticas ESG muito antes de a sigla ser cunhada e ganhar as ruas. Os dados do último Relatório de Impacto Social e Desenvolvimento Sustentável da companhia refletem o êxito das iniciativas voltadas à comunidade e ao meio ambiente, organizadas na plataforma Receita do Futuro.

Por meio de ofertas de emprego e capacitações, a Arcos Dorados impactou, ao longo de 2021, mais de 400 mil jovens em toda a América Latina, faixa etária especialmente afetada pelas consequências socioeconômicas da pandemia da covid-19. A empresa é um dos principais geradores de primeiro emprego formal da região, com 60% dos funcionários entre 16 e 24 anos. A grande novidade de 2021 foi o lançamento da MCampus Comunidade, plataforma que garantiu acesso educacional gratuito e aberto a toda a sociedade. Por meio da Hamburger University, a universidade corporativa da companhia, estão disponíveis mais de dez cursos de capacitação que ajudam os jovens a se especializar e se preparar para o mercado de trabalho. Os temas incluem Empreendedorismo, Finanças Pessoais, Marketing Digital, entre outras especialidades e habilidades comportamentais, além de uma série de conteúdos da área de tecnologia, criados em parceria com a Cisco. Os cursos são totalmente gratuitos, online e com certificado ao final. Qualquer pessoa pode se inscrever em www.receitadofuturo.com.br/cursos-livres.

Desde seu lançamento no ano passado, a MCampus Comunidade já capacitou mais de 40 mil pessoas, sendo mais de 8,4 mil apenas no Brasil. O Vice-Presidente de Impacto Social e Desenvolvimento Sustentável da Arcos Dorados, Gabriel Serber, destaca que, embora a empregabilidade de jovens seja um dos pilares da Receita do Futuro, em meio a diversos outros cuidados com as pessoas e o planeta, ela faz parte da história da Arcos Dorados. “Nosso compromisso em apoiar os jovens existe há muito tempo, principalmente por sermos uma companhia muito conectada a eles, seja pela marca ou por meio da oferta de oportunidades de primeiro emprego.” Segundo o executivo, a ação foi essencial para ampliar a contribuição que a empresa busca levar para a sociedade por meio do incentivo ao desenvolvimento e à capacitação. 

A educação é um pilar tão importante para a companhia que, em 2018, o Instituto Ayrton Senna se juntou ao Instituto Ronald McDonald como uma das instituições apoiadas pela campanha solidária do McDonald’s, o McDia Feliz. “O McDia Feliz tem três décadas e se consagrou como uma das mais tradicionais campanhas beneficentes no País. O Instituto Ayrton Senna é o parceiro ideal para ampliar o compromisso com a educação, que tem se fortalecido a cada ano na empresa. Só em 2021, por exemplo, o que foi arrecadado a partir do McDia Feliz para beneficiar o Instituto foi destinado a impactar mais de 170 mil educadores, com conteúdos de educação pública de qualidade, e 4 mil escolas de aproximadamente 800 municípios”, comenta Serber. 

O olhar para a comunidade é um reflexo do que é feito dentro da empresa. Apostando no desenvolvimento dos jovens que emprega, a rede investe cerca de R$ 40 milhões anualmente em treinamentos. A trajetória de Murilo Diniz, hoje Gerente de Unidade de Negócio do McDonald’s em Campina Grande (PB), é um exemplo de como promover capacitação é essencial para proporcionar crescimento. Na empresa desde 2009, Diniz se lembra do começo motivado pela necessidade de ter o primeiro emprego. “Eu tenho alguns familiares que trabalham no McDonald’s e sempre me falaram muito bem da empresa. Busquei a oportunidade, tive bons gerentes que me apoiaram e ótimos treinamentos, seguindo a trilha de aprendizado que a empresa tem”, lembra Diniz, que passou pelas funções de Atendente, Instrutor, Coordenador de Qualidade e Serviço até virar gerente de Unidade de Negócio em 2017.  “O McDonald’s me desenvolveu bastante”, completa.

Todas as iniciativas da empresa voltadas à comunidade e ao meio ambiente, comenta Diniz, são percebidas e valorizadas pelas equipes. “Com relação ao meio ambiente, vejo uma preocupação muito grande com o reaproveitamento de óleo, com o uso de embalagens, a separação correta dos resíduos. São atitudes importantes para não poluir o meio ambiente”, destaca Diniz, citando algumas das iniciativas ambientais mais recentes da Arcos Dorados. 

O cuidado com o meio ambiente também tem raízes antigas na companhia. Na década de 1990, o McDonald’s foi pioneiro ao desenvolver globalmente um conjunto de Princípios Orientadores para a Saúde e Bem-Estar Animal, que continuam a direcionar o trabalho até hoje. Mais recentemente, o trabalho com embalagens acelerou muito e 90% delas são de fontes renováveis, sendo que 100% dessas têm origem certificada pelo manejo florestal responsável. “As mudanças foram essenciais para que, ao longo da última década, pudéssemos criar e fortalecer uma estratégia ESG robusta. A Receita do Futuro, que hoje guia, acompanha e documenta nossa atuação socioambiental e também colabora para avançarmos”, comenta Gabriel Serber.

No Brasil, a reciclagem do óleo utilizado nos restaurantes McDonald’s, iniciada em 2017 e com mais de 9 milhões de litros do produto recuperados, vem avançando em outras frentes. São diversos projetos pelo País e, em 2020, a empresa criou o programa Óleo Nota 10, que consiste em tratar o material coletado e melhorar sua qualidade. No ano passado, o projeto ganhou escala e chegou a 121 restaurantes. O óleo é destinado a parceiros especializados na fabricação de biodiesel e produtos de limpeza, por exemplo. Reforçando a mentalidade e o pilar de Economia Circular, no ano passado a empresa iniciou a substituição das bandejas de plástico por uma versão mais sustentável, produzida a partir de resíduos orgânicos reciclados. 

No infográfico (abaixo), é possível conhecer um pouco mais sobre as iniciativas desenvolvidas pela companhia em prol do meio ambiente, inclusive no que tange à cadeia de abastecimento e às mudanças climáticas.

“Para o futuro, temos nos dedicado a alcançar as metas de redução de gases de efeito estufa, tanto de nossa operação quanto de nossa cadeia”, comenta o executivo da Arcos Dorados. Recentemente, a Arcos Dorados anunciou que essas metas estão vinculadas a um Sustainability-Linked Bond, se tornando a primeira empresa do setor de restaurantes a associar um instrumento financeiro a objetivos ambientais.

Em relação aos aspectos sociais, até 2025, a meta é aumentar o acesso ao mercado de trabalho formal para mais de 2 milhões de jovens, além de certificar todos os restaurantes como Livres de Discriminação. "No último ano, estabelecemos Diversidade & Inclusão como um pilar da Receita do Futuro e temos avançado significativamente em nossas iniciativas voltadas à inclusão de pessoas com deficiência, à equidade de gênero e racial, assim como ao respeito e orgulho à diversidade sexual. Dessa forma, continuaremos sendo parte ativa da solução e seguimos comprometidos em impactar positivamente a sociedade”, conclui Serber.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.