Argentina espera fim da greve agrícola para iniciar diálogo

O governo da Argentina anunciounesta sexta-feira que acredita que os agricultores do paíssuspenderão a greve que paralisa o comércio e o transporte degrãos e carne. As autoridades condicionam o início das negociações com osetor ao fim da greve. O protesto, que entrou nesta sexta-feira no seu décimosexto dia, bloqueia estradas para chamar a atenção sobre umaalta nos impostos de exportação de soja e girassol,implementada recentemente pelo governo. Os produtoresargumentam que perdem renda com essa política. "Estamos esperando que no dia de hoje (sexta-feira)resolvam rapidamente sentar na mesa de negociação, porque hámuitos pontos de divergência", afirmou o ministro do Interior, Florencio Randazzo. "Estamos esperando que as respectivas assembléias (deagricultores) decidam", acrescentou. Em várias regiões do país, os produtores realizam reuniõespara decidir qual será o próximo passo do movimento. "Queremos saber quais são as medidas que o governopontualmente tem para avançar... queremos conhecê-las e depoisiremos para as fazendas", afirmou Guillermo Giannasi, dirigenteda Federação Agrária Argentina (FAA). Na quinta-feira, a presidente da Argentina, CristinaFernández, pediu o fim da greve e chamou para o diálogo, em umdiscurso que teve repercussões entre os agricultores. Algumas estradas foram desbloqueadas, mas outraspermaneciam fechadas. "Espero que ao meio-dia de hoje ou na primeira hora datarde estejamos reunidos com os ministros para trabalhar em umaagenda", afirmou à Rádio Mitre Eduardo Buzzi, presidente daFAA. A alta nos impostos de exportação busca reforçar osuperávit fiscal do país e frear a escalada da inflação devidoaos preços dos alimentos que ameaça a economia. (Reportagem de Walter Bianchi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.